6
02
Gal Gadot participará de nova temporada de Os Simpsons

Gal Gadot compartilhou em seu perfil no Twitter que fará uma participação, dublando ela mesma, em um episódio da série Os Simpsons. Confira abaixo!

 

“Eu cresci assistindo Os Simpsons e agora eu estou gravando minha voz para um episódio! Fiquem ligados.”

A atriz aparecerá no episódio Bart’s Not Dead (Bart não está morto), na 30ª temporada, que estreará no segundo semestre de 2018.

Lembrando que, durante sua participação um painel da Rhode Island Comic Con em 2016, Gal Gadot respondeu uma pergunta de Millie Bobby Brown, onde disse que sua série favorita era Os Simpsons.

2
02
“Gal tem muitos dos atributos da Mulher-Maravilha”, Charles Roven em entrevista para a revista Desert

Gal Gadot fala sobre Mulher-Maravilha, abuso sexual, feminismo e mais em entrevista para a revista Desert. Confira abaixo!

Gal Gadot encontra uma voz poderosa ao navegar a jornada da Mulher-Maravilha até Zeitgeist (Termo alemão cuja tradução significa espírito da época, espírito do tempo ou sinal dos tempos. O Zeitgeist significa, em suma, o conjunto do clima intelectual e cultural do mundo).

Gal Gadot tornou-se um rosto do movimento das mulheres, enquanto Mulher-Maravilha tornou-se o filme narrativo vivo de maior bilheteria dirigido por uma mulher.

Em algum lugar entre a má conduta sexual de Roger Ailes, Bill O’Reilly e Bill Cosby, e as acusações de abuso sexual contra Harvey Weinstein, Matt Lauer e Kevin Spacey, Gal Gadot, como Mulher-Maravilha, se tornou um símbolo em Hollywood de uma evolução social.

Uma guerreira amazônica com origens de quadrinhos não pode ser creditada com a mudança da cultura do abuso e do privilégio masculino com um flash de raios saindo de um par de braceletes mágicos. Mas, ao mesmo tempo, os frequentadores de filmes estavam reunidos para ver a deusa da verdade empunhar a espada e criar o escudo para proteger as pessoas indefesas do mal, as mulheres estavam cada vez mais capacitadas para contar suas histórias e a sociedade estava de repente ouvindo.

Gadot, ex-soldado israelense e concorrente do Miss Universo, acredita que as mulheres agora têm maiores oportunidades do que nunca para perceber seu potencial.

“Eu acho que, certamente, há muito mais espaço para as mulheres assumirem posições poderosas“, disse ela em uma entrevista por telefone de Los Angeles, onde ela tem uma segunda casa. “Eu ainda não acho que as mulheres obtêm as oportunidades iguais os homens fazem. Muitas pessoas acham que o feminismo é sobre odiar os homens, e não é. Eu acho que existem homens incríveis. Eu sou casada com um. [Mas] Eu acho que há mais espaço para as mulheres poderosas”.

Na interface do cinema de quadrinhos e da vida real, Mulher-Maravilha é um sinal na fronteira do dogma (crença ou doutrina estabelecida de uma religião, ideologia ou qualquer tipo de organização) e da imaginação e Gadot é a primeira heroína feminina do cinema e uma defensora feminina emergente. No dia 2 de janeiro, o Festival Internacional de Cinema de Palm Springs apresentará o prêmio Rising Star para Gadot (pronunciado Ga-dote), como se fosse fornecer uma metáfora para os tempos – pagamento desigual, má conduta sexual e um teto de vidro teimoso.

“Por um bom tempo”, diz Charles Roven, um co-produtor de Mulher-Maravilha de 68 anos, “você não poderia fazer um filme que estrelasse uma mulher como super-herói”. Agora, ele diz: “Mulher-Maravilha é importante.”

“Se Mulher-Maravilha foi parcialmente responsável por esse despertar, se você quiser, ou ela se tornou popular porque isso estava acontecendo, provavelmente é um pouco de ambos”, disse Roven, cujos três co-produtores incluem Zack Snyder, que introduziu Gadot como Mulher-Maravilha em Batman vs Superman e, mais recentemente, a dirigiu em Liga da Justiça.

“Nós certamente estávamos nos movendo nessa direção”, acrescentou Roven. “Mesmo antes de Mulher-Maravilha ter saído, você teve toda essa questão de mais e mais atrizes que atingiram um certo nível de popularidade exigindo um pagamento equivalente, e começaram a receber. Quando Mulher-Maravilha estava no ar [na televisão] com Lynda Carter, foi um grande show de sucesso, e você teve outros shows de sucesso com as mulheres que os estrelaram ao longo dos anos. Mas, certamente estamos em um momento agora onde é mais prevalente do que nunca. Mulher-Maravilha tornou-se parte do zeitgeist*. Foi mais que apenas um sucesso. Cativou o mundo”.

Mulher-Maravilha, lançado no dia 2 de junho, tornou-se o filme narrativo vivo de maior bilheteria já dirigido por uma mulher e essa diretora, Patty Jenkins, ajudou a moldar a personagem para o público de hoje. Carter, que interpretou a Mulher-Maravilha / Princesa Diana na televisão no final da década de 70, disse ao The Desert Sun que Jenkins fez o personagem mais sobre “intelecto e atitude” do que a heroína que ela interpretou sob a orientação de dois produtores masculinos.

“O que as mulheres adicionam em uma conversa ampla é um ponto de vista”, disse Carter no verão passado, antes de uma viagem à Comic Con Palm Springs. “Eu achei [Gadot] magnífica nisso. Ela ganhou todas os ritmos. Mas, em um sentido maior, Patty obteve a personagem”.

Gadot também creditou Jenkins por ajudá-la a desenvolver sua personagem.

“Patty Jenkins teve uma visão incrível e surpreendente sobre a Mulher-Maravilha”, disse Gadot, cujo principal lar ainda está em Israel. “Eu fui lançada por Zack Snyder, que tinha uma visão sobre a Mulher-Maravilha, mas não conseguimos explorá-la muito porque acabamos de apresentá-la em Batman vs Superman. Quando filmamos Mulher-Maravilha, isso foi a minha primeira vez a trabalhar e realmente explorar a personagem. Patty e eu sentimos que esse é um personagem tão único e queríamos espalhar algo inspirador com sua história. Eu acho que a maneira como Patty conduziu todo o personagem e o filme em si é simplesmente incrível para mim. Foi uma experiência incrível.”

 

A HISTÓRIA POR TRÁS

Gadot, de 32 anos, disse que pesquisou as origens da Mulher-Maravilha.

“Eu percebi que havia tanto material sobre esse personagem e muito legado atrás dela que você não pode agarrar tudo”, disse ela. “Para mim, eu tentei tirar o melhor do personagem que eu acho crucial, que é o fato de que ela tem a força de uma deusa, mas o coração de um ser humano. Ela é calorosa. Procuro sempre encontrar a imperfeição de um personagem [e] tentei encontrar a imperfeição da Mulher-Maravilha. Ela é vulnerável e confusa, mas também é muito sincera e aberta ao mundo, o que eu amo”.

 

REINVENÇÃO

Roven disse que os personagens do filme e os quadrinhos tiveram múltiplas influências.

“Vamos começar com Marston”, disse ele. “Ele obviamente criou o primeiro super-herói feminino. Então, essa é uma declaração em si mesma. Talvez ele fosse um visionário naquela época simplesmente porque ele criou o primeiro. Mas, à medida que o personagem progrediu de geração em geração, cada escritor que assume o quadrinho, ou cada equipe de redação, eles estão sempre evoluindo. É o objetivo que todos tentam fazer – reinventar esses personagens até certo ponto para torná-los relevantes hoje. Eu não acho que ela tenha sido reinventada completamente para o hoje, mas não teríamos o personagem para fazer algo contemporâneo se ela não tivesse algumas qualidades contemporâneas desde a época em que Marston a inventou”.

O que distingue Mulher-Maravilha de outros super-heróis, além de seu gênero, disse Roven, é a motivação dela para ser um herói.

“A maioria dos super-heróis, eles não começam com uma agenda de ser um super-herói”, disse Roven, que também produziu os filmes Batman: O Cavaleiro das Trevas e Homem de Aço. “Algo em sua vida e em seu passado os motiva a fazer isso e geralmente sai de algum tipo de tragédia, como acontece com Superman e Bruce Wayne, ou algum acidente que aconteceu, como Cyborg ou Flash. Mas, com a Mulher-Maravilha, ela é criada por sua rainha das Amazonas. Essa é a mãe dela. Ela não sabe que tem um pai que é um deus. Ela descobre isso. Mas, desde que é pequena, ela quer ser uma heroína. Ela não sabe que ela é um heroína no sentido de que ela tem poderes piedosos, mas ela quer seguir os passos de sua mãe, que resgatou as Amazonas em uma revolta contra o homem quando estavam sob a influência de Ares, e sua tia, que também foi uma grande guerreira.”

“A jornada de herói para ela é a de persegui-la, ao contrário de ser atraída para ela ou, relutantemente, concordar em acompanhar isso. Isso a torna única. Ela também vem de um lugar que, ela tem muita empatia com a situação de suas irmãs amazônicas. Ela acha que são suas irmãs amazônicas e, de certo modo, todas as Amazonas são irmãs. Mas ela também tem muita empatia com a humanidade. Essas coisas foram acentuadas quando o roteiro evoluiu sob a direção de Patty, e foi algo que Gal abraçou prontamente”.

 

PASSADO DE GAL GADOT

Gadot cresceu em uma cidade central de Israel, cujo nome se traduz para Fountainhead. Ela queria ser uma dançarina e uma coreógrafa, e inicialmente rejeitou as ofertas para se tornar uma modelo. Os pais dela queriam que ela fosse à uma universidade e estudasse relações internacionais, o que ela fez. Mas, em primeiro lugar, ela ganhou o concurso de Miss Israel, o que levou a competir o Miss Universo, e então completou um período de dois anos obrigatório nas forças armadas, onde ela se tornou uma instrutora de combate. Quando ela conseguiu o papel de Mulher-Maravilha em Batman vs Superman, ela disse que seus pais estavam “super animados”.

Ela não pensou em se tornar um modelo como a estrela de Mulher-Maravilha, mas percebeu que ela começou a receber um feedback sobre seu desempenho.

“No final do dia, sou uma atriz e tenho que construir o personagem e o enredo da história“, disse Gadot. “Você não pode filmar um filme pensando que você vai ser um modelo a seguir. Mas, lentamente, cresce em você quando você recebe a reação. Você percebe o quanto esse personagem significa para tantas pessoas”.

Seus pais eram ambos nativos bem educados de Israel. Sua mãe trabalhou como professora e seu pai era engenheiro. Ela foi criada como uma feminista.

“Eu venho de uma cultura de mulheres fortes”, disse ela. “[Há] muita igualdade em nossa família. As mulheres também têm carreiras, e os homens estão muito envolvidos na vida familiar. Foi uma espécie de “não é problema” para mim. Mas eu acho que todos devem ser feministas e quem não é feminista é sexista porque o feminismo para mim é tudo sobre liberdade de escolha e igualdade de oportunidades”.

Gadot foi colocada em destaque no momento em que Mulher-Maravilha se tornou um dos maiores sucessos do ano. Além de ter a chance de apresentar o Saturday Night Live, ela foi a única que a mídia se aproximou quando um dos investidores Mulher-Maravilha e Liga da Justiça foi acusado de má conduta sexual. Ela se opôs a seu envolvimento contínuo nas sequências, mas também disse que todos os envolvidos com os projetos desejavam o mesmo.

Roven não ficou surpreso com a forma como ela se comportou como foco da mídia.

“Aqui está uma das coisas incríveis sobre ela”, disse ele. “Quem ela é hoje, é quem ela era antes que ela tivesse a notoriedade. Ela está sendo mais ouvida porque ela tem a notoriedade. Gal tem muitos dos atributos da Mulher-Maravilha e ela os fez entrar no personagem. Quando a testávamos para Batman vs Superman, ela testou entre outras cinco atrizes maravilhosas e ganhou o papel porque ela apenas tinha essa [coisa]. Ela certamente se tornou a personagem, mas também era a personagem de muitas maneiras”.

Carter fala sobre como há uma irmandade entre Gadot e ela, e “qualquer garotinha que interpretou a Mulher-Maravilha” no Halloween. Mas Roven diz que Gadot está se elevando nesse momento da história, onde as mulheres estão sendo ouvidas por questões antigas.

“Eu acho que é realmente ótimo que ela não só tenha se tornado extremamente bem sucedida no campo que ela escolheu”, disse ele, “mas também que ela esteja usando esse sucesso para falar com seu coração e sua mente”.

Gadot está ciente da evolução social que está acontecendo ao seu redor, embora reconheça que ela é jovem e de um país diferente.

“Eu tento pensar se alguma vez na historia do passado – 100 anos ou mais – que as mulheres saíam e falavam”, disse ela. “Eu acho que isso é história, o que está acontecendo agora, com todos os homens e mulheres saindo e expressando tudo o que aconteceu com eles que é errado e inaceitável. Eu certamente espero que isso não seja apenas uma tendência, mas o início de uma verdadeira mudança”.

 

Inicio > Scans de revistas | Magazine Scans > 2018 > Janeiro – Desert

 

Fonte | Tradução e adaptação – Gal Gadot Brasil

1
02
Mulher-Maravilha 2 pode ser filmado no Reino Unido

Um novo relatório indica que a produção de Mulher-Maravilha 2 acontecerá na Warner Bros. Studios em Leavesden, na Inglaterra, onde muitos dos blockbusters do estúdio foram filmados. Tanto Liga da Justiça como as primeiras cenas do filme solo da heroína. De acordo com o mesmo relatório, as filmagens estão previstas para começarem no verão americano.

Neste ponto, ainda não está claro quando e onde o filme será definido, embora os rumores tenham indicado que o enredo terá lugar nos anos 80 no meio da Guerra Fria, o que poderia mais uma vez levar a Mulher-Maravilha em uma aventura internacional.

Mulher-Maravilha 2 estreia nos cinemas em 01 de novembro de 2019.

 

Fonte | Tradução e adaptação – Gal Gadot Brasil

31
01
“Estou muito emocionada e grata pela forma como as pessoas me receberam”, Gal Gadot em entrevista para a Pirelli

Gal Gadot concedeu uma entrevista ao site Pirelli.com onde falou sobre Mulher-Maravilha, Liga da Justiça, suas escolhas profissionais e vida pessoal. Confira a tradução abaixo!

Gloriosa Gal

Gal Gadot não poderia ter encontrado um papel melhor do que Diana Prince, também conhecida como Mulher-Maravilha – um que serviu tanto ao espírito feminista quanto ao seu interior como artista marcial e ex-treinador de ginástica para o exército israelense. O filme de ação acabou sendo um sucesso de verão, superando as expectativas mais otimistas do setor, ganhando mais de US $ 800 milhões na bilheteria em todo o mundo.

Não só foi um resultado notável para uma heroína feminina de quadrinhos, mas também deu à Gadot sua própria franquia de filmes solos quando a Warner Bros / DC Entertainment confirmou que uma sequência começaria a a ser filmada no final de 2018. Uma recompensa adequada para o desempenho, aclamado pela crítica, de Gadot como a melhor guerreira feminina no cinema.

Gadot voltou a atuar novamente como Mulher-Maravilha em Liga da Justiça, na qual se juntou com o Batman de Ben Affleck em uma batalha para salvar a Terra de um novo inimigo catastrófico. Precisando de toda a ajuda possível, a dupla recrutará outros super-heróis, Aquaman (Jason Momoa), Cyborg (Ray Fisher), Flash (Ezra Miller) e outros, para enfrentar essa ameaça sem precedentes. Dirigido por Zack Snyder, o elenco inclui Henry Cavill (Superman), Amy Adams (Lois Lane), Jeremy Irons (Alfred), Jesse Eisenberg (Lex Luthor) e JK Simmons (Comissário Gordon).

Pessoalmente, Gadot é extrovertida e exuberante. Ela ri facilmente, raramente deixa de sorrir e ainda parece admirar toda a atenção que vem com seu surgimento como uma grande estrela de cinema.

A jovem de 32 anos ainda faz Tel Aviv sua casa principal, que compartilha com o empresário Jaron Varsano e suas duas filhas, Alma, de seis anos, e Maya, nascida em março do ano passado. Além de Mulher-Maravilha, Gadot é um dos principais personagens dos filmes Velozes e Furiosos, imensamente populares, o último dos quais, Velozes e Furiosos 8, é o oitavo filme da franquia e o mais bem sucedido ainda.

Simplificando, a estrela de Gadot nunca brilhou tanto.

Interpretando a Mulher-Maravilha, o que é mais importante para você em termos de criar uma impressão distinta com o público?
Além do elemento de ação para ela, era realmente fundamental mostrar o coração da personagem e ter um tom emocional muito específico. Para mim, era realmente crucial que todos pudessem se relacionar com a Mulher-Maravilha porque, no final do dia, ela é uma deusa e como podemos nos relacionar com esse ser? Mas acho que fomos capazes de mostrar ao público que ela é um personagem multifacetado e uma guerreira poderosa que tem suas imperfeições e pode ser vulnerável e confusa. O fato de que ela não tem medo de mostrar suas falhas é o que a torna tão especial.

Como você adaptou sua própria personalidade à Diana/Mulher-Maravilha?
Eu queria dar-lhe uma certa quantidade de inocência, não que fosse uma fraqueza, mas mostrar como ela não é apenas uma guerreira fria e determinada. Eu não queria que ela fosse uma personagem assustadora, mas alguém com quem as pessoas pudessem se identificar. Então, agora as pessoas poderão se relacionar melhor com ela e sempre é mais interessante seguir uma história onde o público pode investir de forma mais pessoal e emocional em um personagem. Estou muito emocionada e grata pela forma como as pessoas me receberam.

O que fez Mulher-Maravilha ser especial para você?
É a primeira vez que filmo um mega filme que, ao mesmo tempo, senti tão pequeno e íntimo. Eu acho que tínhamos tanta sorte de ter uma química tão grande entre nós, todos e cada um de nós, e com a Patty Jenkins [diretora]. Certamente, tivemos desafios ao filmar o filme, como quando você filmou em um local em Londres no meio do inverno e você tem um dia muito curto e você precisa fazê-lo funcionar, mas tudo foi fácil de superar porque todos nós nos apoiamos.

Como foi trabalhar com a diretora mulher de Mulher-Maravilha, Patty Jenkins?
Em primeiro lugar, eu diria que Patty era a pessoa certa para este trabalho, dirigir esse filme, seja ela mulher ou não, ela tinha todas as habilidades e qualidades que esse filme precisava. Mas definitivamente há uma diferença trabalhando com uma diretora que que foi uma menina jovem e inocente e cresceu para entender que o mundo é um lugar complicado, e tudo isso me ajudou a passar por essa jornada com ela. Patty é uma diretora tão talentosa, tão inteligente e tão apaixonada. Ela mergulhou com a gente, a cada cena. Nós fizemos inúmeras tomadas até conquistarmos a perfeição, a magia. Ela é tão perfeccionista que ela nunca parou até que fosse perfeito e isso nos fez trabalhar ainda mais e nos fizeram querer ser o melhor para ela, sabendo quem ela é.

Como você fez o seu próprio personagem?
Eu acho que, como atriz, eu me trago para todos os personagens que eu toco. Eu me sinto muito perto de Diana, da Mulher-Maravilha. É a primeira vez que retratei um personagem que é tão bom e puro e positivo, e isso é muito inspirador para mim como pessoa e como atriz. Eu venho de um passado muito seguro e protegido e eu tive uma infância muito normal. Eu era muito protegida. Não estou dizendo que tive numa jornada similar a Mulher-Maravilha, só estou dizendo que, como uma menina, eu cresci e me tornei mais uma pessoa complicada. Eu amo sua história e adoro o fato de que isso acontece devagar, porque geralmente você cresce lentamente ao longo dos anos. Para Diana [Prince], ela era muito ingênua e inocente por tanto tempo e, de repente, ela se aproximou de um cenário que a fez entender o mundo melhor, e então ela cresceu.

Mas como você fez sua própria comparação com a Mulher-Maravilha de Lynda Carter?
Para ser completamente honesta com você, eu apenas pensei em como fazer o meu. O que me leva como uma atriz é: como faço para contar sua história da maneira mais interessante e original, e como faço o melhor que posso. Foi nisso que me concentrei. Como faço para ela ser confiável e acessível para as pessoas. É muito difícil se relacionar com uma deusa, então eu estava procurando por suas frações de imperfeições; para mostrar sua insegurança e mostrar sua falta de confiança às vezes. Quando falei com Patty sobre a personagem, ambos sentimos fortemente que, quando mostramos a Mulher-Maravilha, ela simboliza tantas coisas – ela é importante para as feministas e para todos. Ela é a personagem feminina mais forte e poderosa e eu não queria retratá-la de uma maneira em que ela seria uma puxa-saco, mandona ou uma sabe-tudo, e queria que as pessoas pudessem amá-la. Eu acho que você pode amar as pessoas quando você vê que elas não são perfeitas, e quando você vê que elas são suaves e elas são amorosas e elas significam o bem.

Agora que iremos ver Mulher-Maravilha em Liga da Justiça, você acha que o público vai entender e apreciá-la mais?
Sim. Eu considero isso muito importante. Mulher-Maravilha é uma figura tão icônica e ela definitivamente mereceu ter uma história de origem. Então estou feliz por termos conseguido explorá-la. Precisávamos contar sua história de origem porque não estabelecemos sua história no primeiro filme onde ela aparece (Batman vs Superman: Dawn of Justice). Todos os super-heróis que conhecemos, seja o Superman, o Batman ou o Homem-Aranha, todos eles têm sua história de origem e sempre compreendemos de onde eles estão vindo e o que os transformou em quem realmente são.

Você pode falar sobre seus figurinos em Mulher-Maravilha? Você tem um favorito?
Eu tenho 14 figurinos diferentes neste filme, então é difícil escolher entre a prata e o ouro. Nenhum dos figurinos é leve, mas também não são muito pesados. Eu tenho um que é o mesmo que eu usei em Batman vs Superman, embora seja muito mais confortável que o original. Felizmente, não tenho que usar por muito tempo. No entanto, quando estávamos nos preparando para Mulher-Maravilha, deixei claro que eu precisava ter algum oxigênio através do meu corpo para poder filmar o filme. Então, definitivamente ajustamos o traje, mudamos o material e o tornamos um pouco maior, de modo que não é super, super apertado – porque eu usava todos os dias e filmamos mais de 117 dias e tive que me apresentar nisso. Então, esta nova versão é excelente – eu posso até dormir nela. É como um pijama agora para mim! Adoro o traje, acho que é super forte e sexy ao mesmo tempo, e adoro o jeito que parece.

Como foi trabalhar na tela verde com todos os efeitos especiais?
Devo lhe dizer que tínhamos muitos locais neste filme. Muitos. O primeiro mês e meio foi tudo em locais em Londres e depois, um mês e meio, na Itália, então tivemos aproximadamente um mais um mês para filmar em estúdio, o que é muito incomum nesses mega filmes de ação e ficção científica, então realmente foi ótimo.

Você teve que passar por um grande treinamento físico para esse papel? Obviamente, existiram passeios a cavalo, mas o que mais você precisou aprender para a preparação?
É o que é. Antes de começar a filmar Mulher-Maravilha, senti como se fosse uma criança, olhando para o Monte Kilimanjaro e pensando, como é que eu vou escalar todo o caminho. Mas, devagar porém segura, e com a equipe certa, você sabe, as melhores pessoas para fazer isso, eu fiz. Acho que a coisa mais desafiadora para mim foi o trabalho físico. Mesmo enquanto filmava, eu tinha uma barraca no estúdio e toda vez que fazíamos uma pausa, eu estava treinando, então eu estava treinando o tempo todo.
Foi muito difícil, e quando você adiciona à mistura o fato de que filmamos na Inglaterra no meio do inverno, com pouca roupa, esse foi o maior desafio que eu tive no set. Estava tão frio que mal podia falar.

Como foi ser um membro de pleno direito da máquina de filmes da DC?
(Risos) É louco porque quando eu trabalho, é sempre muito importante para mim fazer o melhor trabalho que posso. Mas neste caso, foi ainda mais importante porque muitas pessoas se importam muito com esse personagem. Você deve respeitar isso e o legado que esse personagem tem. Nós temos um excelente elenco em Liga da Justiça… E eu tive que me concentrar em minha responsabilidade, que era ajudar a contar a história e me esforçar 100%.

Sua jornada de Miss Israel, servindo como treinadora de ginástica nas forças armadas israelenses, a uma grande estrela de cinema é uma história incrível por direito próprio.
Meu objetivo original na vida era ser coreógrafa. Eu dançava desde os 12 anos de idade e, mais tarde, recebi muitas ofertas para trabalhar como modelo, mas quase sempre me desviava desse trabalho. Achava que a modelagem era muito superficial. Mas então eu me convenci a participar do concurso Miss Israel e fiquei totalmente atordoada e completamente despreparada quando ganhei. Foi quando comecei a aceitar trabalhos de modelo. Mas também fui à universidade e estudei direito.

Como você entrou para a atuação, então?
Por acidente. Meu agente de modelo disse que um colega tinha visto minha foto e sugeriu que eu deveria fazer uma audição para ser uma Bond Girl. Eu primeiro disse “Não”, porque não sou atriz e não falo inglês perfeito. Finalmente, decidi fazer a audição e fiquei fascinada com o processo. Eu não consegui o papel [foi em Quantam of Solace que ficou com Olga Kurylenko], mas depois fiz uma audição para um programa de TV israelense e fui contratada para isso. Depois, entrei em Velozes & Furiosos e desde então estou vivendo um sonho!

Você é a mãe de duas filhas. Como você se sente sobre a maternidade e sua vida com seu marido, Jaron?
Meu marido é um grande homem que me apoia plenamente em tudo. Ele é o melhor. Adoro cada momento que passo com ele e minhas filhas. Ele também é um homem de negócios bem sucedido e muito envolvido nisso. Mas mesmo que ambos estejamos ocupados com o nosso trabalho, a nossa vida familiar é prioridade; Eu sou uma mulher muito, muito feliz, que mal espera voltar para minha família toda vez que eu termino um filme.

 

Fonte | Tradução e adaptação – Gal Gadot Brasil

26
01
Gal Gadot fala sobre Mulher-Maravilha ter ficado fora do Oscar 2018

Durante o evento de lançamento da nova campanha da Revlon, Live Boldly, onde Gal Gadot aparece como a nova embaixadora da marca, a atriz foi questionada diversas vezes sobre Mulher-Maravilha ter ficado de fora do Oscar 2018, e em entrevista ao Entertainment Tonight ela contou o que achou sobre isso.

“Fiquei muito emocionada e tocada com os comentários de todas as pessoas que ficaram desapontadas com o fato de Mulher-Maravilha não ter sido nomeado. Mas nós certamente nunca fizemos o filme para isso. Eu acho que você não pode ter tudo. Nós fizemos esse filme e ele foi recebido de uma forma incrível e maravilhosa, e queremos nos manter humildes e gratos, e vamos ter outro filme, então, quem sabe? Talvez no próximo!”

 

Fonte | Tradução e adaptação – Gal Gadot Brasil

26
01
Gal Gadot entre as 12 estrelas extraordinárias da Vanity Fair

Gal Gadot conquistou mais um grande momento em 2018! A atriz e modelo estampa a capa especial da revista Vanity Fair, na edição de março, chamada The 2018 Vanity Fair Hollywood Portfolio: 12 Extraordinary Stars, One Momentous Year (Portfólio de Hollywood da Vanity Fair: 12 Estrelas Extraordinárias, Um Ano Momentâneo).

O portfólio deste ano foi preparado em Los Angeles e Nova York, e fotografado por Annie Leibovitz, integrando 12 dos atores mais emblemáticos do cinema e da TV em 2018. Os filmes e programas de TV representados pelos atores do Portfolio de Hollywood deste ano, que pela primeira vez oferece um olhar pelos bastidores, levaram o movimento #MeToo como inspiração, mostrando mulheres fortes em papéis de liderança, como homens fortes que as apoiam.

GAL GADOT, atriz e modelo.
13 filmes, incluindo Mulher-Maravilha (2017).

Fisicamente, a atriz, a modelo e a antiga treinadora de combate das Forças de Defesa de Israel, Gal Gadot, trouxeram todos os atributos certos – imponente altura e beleza, atletismo, glamour de deusa – para a tarefa de interpretar a Princesa Diana, filha de Hippolyta, mais conhecida em todo a vizinhança como Mulher-Maravilha. Mas foi um poder secreto de Gadot que ganhou o dia: o encanto. Em uma temporada de grande sucesso com pouca diversão, o espírito exuberante de Gadot (e a direção de Patty Jenkins) redimiram a franquia da DC. O resto da Liga da Justiça deveria entregar as cuecas.

 

Inicio > Scans de revistas | Magazine Scans > 2018 > Março – Vanity Fair: 12 Extraordinary Stars

Inicio > Ensaios Fotográficos | Photoshoots > 2018 > Annie Leibovitz – Vanity Fair

Inicio > Ensaios Fotográficos | Photoshoots > Bastidores | BTS > 2018 > Vanity Fair

 

Assistam os bastidores dessa edição:

26
01
Gal Gadot comparece ao lançamento da nova campanha da Revlon, Live Boldly

Gal Gadot esteve presente, na noite de ontem (25), no lançamento da nova campanha da Revlon, onde a marca divulgou as novas embaixadoras da campanha Live Boldly, em New York. Além de Gal Gadot, Ashley Graham, Adwoa Aboah, Raquel Zimmerman e Imaan Hammam são os novos rostos da marca.

Gal foi recepcionada por diversos fotógrafos na entrada do local onde aconteceu o evento.

A atriz passou pelo tapete vermelho, onde posou para os fotógrafos, em um belíssimo vestido preto da marca Mugler.

Gal também subiu ao palco, onde fez um breve discurso:

 

Inicio > Eventos e Aparições | Appearances & Events > Eventos e premiações > 2018 > 25/01 | Lançamento da nova campanha da Revlon, ‘Live Boldly’ – Tapete vermelho

24
01
Novas informações sobre Ruin, novo filme de Gal Gadot

Finalmente temos novas informações sobre Ruin, suspense de vingança que se passa pós-Segunda Guerra Mundial, e uma provável confirmação de Gal Gadot no elenco!

Como foi informado pelo Deadline ano passado, Gal estava em negociações para estrelar o filme, que terá direção de Justin Kurzel (Assassin’s Creed) e roteiro de Matthew K. e Ryan Firpo. Parece que as negociações foram fechadas e Gal está dentro do projeto!
No site de Matthew, um dos roteiristas e produtores do filme, além de confirmar Gal Gadot no elenco, há a informação de que as filmagens começarão no outono americano, ou seja, a partir de setembro!

Pelo o que vimos do roteiro, parece que o nome da personagem da Gal será Elsa Brzezina e ela terá um grande papel na história. Aproveitamos para traduzir um trecho de uma review feita pelo site Script Shadow:

Com Ruin, você está falando sobre a ruína da Alemanha após a guerra. Então, usando a mesma fórmula, você também tem seus heróis em ruínas. E é exatamente isso que vemos aqui com o Capitão e Elsa. Suas vidas internas estão em completa ruína. E funciona totalmente. Podemos vê-los tentando curar as cicatrizes físicas e mentais que sofreram nos últimos cinco anos. Então, da próxima vez que você estiver lutando para descobrir o que fazer com seus heróis, faça o que esses caras fizeram.

Ruin nem começou sua produção e já foi o vencedor de grandes listas em 2017: Black List, Hit List e Blood List. Além de ser semifinalista da Academic Nicholl.

Estamos muito ansiosos para conhecermos mais desse projeto da Gal, e vocês?

 

Fonte | e || | Tradução e adaptação – Gal Gadot Brasil