O Gal Gadot Brasil é um site sem fins lucrativos, não-oficial e sem qualquer afiliação à Gal ou qualquer pessoa associada a ela. Todos os vídeos e fotos pertencem aos seus respectivos donos, a não ser que seja informado o contrário.
Gal Gadot só voltaria para sequência de Mulher-Maravilha com a saída de Brett Ratner da produção do filme

De acordo com o site Page Six, Gal Gadot só voltaria para a sequência de Mulher-Maravilha com a saída de Brett Ratner da produção. Confira a matéria abaixo!

Uma fonte de Hollywood disse à Page Six que Gadot – que o mês passado cancelou sua participação em um jantar em homenagem a Ratner, onde ela deveria entregar-lhe um prêmio – está assumindo uma posição forte sobre os casos de assédio sexual em Hollywood e não quer o seu filme de sucesso, Mulher-Maravilha 2, beneficiando um homem acusado de má conduta sexual.

A empresa de produção de Ratner, a RatPac-Dune Entertainment, ajudou a produzir Mulher-Maravilha como parte de seu acordo de co-financiamento com a Warner Bros. O filme arrecadou mais de US$ 400 milhões internacionalmente, e a empresa de Ratner terá uma participação saudável nos lucros. Um informante da Warner Bros. explicou: “Brett ganhou muito dinheiro com o sucesso de Mulher-Maravilha, graças à sua empresa ter ajudado a financiar o primeiro filme. Agora, Gadot está dizendo que não vai assinar para a sequência, a menos que a Warner Bros. compre a saída de Brett [de seu acordo de financiamento] e se livre dele”.

A fonte acrescentou sobre Gadot, de origem israelense: “Ela é dura e está de acordo com seus princípios. Ela também sabe que a melhor maneira de bater pessoas como Brett Ratner está na carteira. Ela também sabe que a Warner Bros. tem que acompanhar essa questão à medida que ela se desenvolve. Eles não podem ter um filme enraizado no empoderamento das mulheres sendo co-financiado por um homem acusado de má conduta sexual contra as mulheres”.

Na semana passada, a Warner Bros. anunciou que estava cortando os laços com Ratner em meio a várias alegações de assédio sexual proferidas contra ele por diversas atrizes, incluindo Olivia Munn e Natasha Henstridge. Ratner negou veementemente as alegações através de seu advogado, Marty Singer.

No início deste mês, Gadot postou no Instagram: “Estou do lado de todas as mulheres corajosas que enfrentam seus medos e estão falando. Juntas, estaremos fortes. Estamos todas unidas neste momento de mudança”.

Um representante da Warner Bros disse apenas: “Falso”.

 

Fonte | Tradução e adaptação – Gal Gadot Brasil