O Gal Gadot Brasil é um site sem fins lucrativos, não-oficial e sem qualquer afiliação à Gal ou qualquer pessoa associada a ela. Todos os vídeos e fotos pertencem aos seus respectivos donos, a não ser que seja informado o contrário.
Gal Gadot fala sobre as acusações sexuais de Brett Ratner e as críticas de James Cameron para Mulher-Maravilha

Durante maratona de entrevistas que aconteceu no último dia 03 em Londres, Gal conversou com o site Inquirer sobre as acusações de abuso sexual contra Brett Ratner e as críticas feitas por James Cameron. Leia abaixo!

“Este comportamento deve ser condenado”, respondeu Gal Gadot quando perguntada sobre as acusações sexuais contra Brett Ratner, cujo RatPac é co-financiador de vários filmes da Warner Bros., incluindo Liga da Justiça, onde ela interpreta Mulher-Maravilha. “É inaceitável e não deve ser tolerado”.
A Warner Bros. cortou seus laços com Brett, já que numerosas alegações de assédio sexual e má conduta contra o produtor-diretor por mulheres, incluindo a atriz Olivia Munn, saíram.

“Sim, fiquei surpresa”, acrescentou Gal sobre as reivindicações em uma entrevista recente no Rosewood Hotel, em Londres. Homens e mulheres revelaram incidentes de abuso por talentos e executivos de Hollywood, uma vez que numerosas mulheres acusaram publicamente o produtor Harvey Weinstein de assédio sexual.

“Eu nunca tive essa experiência, trabalhando em estúdio ou com um produtor. Estou feliz por ter havido essa direção agora que as mulheres e os homens estão expressando e falando sobre o que passaram. Porque toda a mentalidade de usar o poder para ganhar algo de forma manipuladora não está certo. Essas pessoas que estão saindo e contando suas histórias que aconteceram décadas e décadas atrás mostram que elas nunca tiveram um alívio. O fato deles estarem falando agora é muito importante. Espero que, com o tempo, ela (a cultura) mude porque não é assim que deveria ser”.

Gal também respondeu a uma pergunta sobre a crítica do diretor James Cameron sobre Mulher-Maravilha, seu blockbuster de sucesso conquistado por Patty Jenkins. Em seus comentários, James citou o personagem Sarah Connor de Linda Hamilton de seus filmes da franquia O Exterminador do Futuro e ressaltou que ela (Sarah) “não era um ícone de beleza”. Gal foi Miss Israel em 2004.

Estas foram algumas das observações de James: “Todos os bélicos de felicitações que Hollywood fez com Mulher-Maravilha foram muito mal orientados. Ela é um ícone concretizado, e é apenas a Hollywood masculina fazendo a mesma coisa de sempre! Não estou dizendo que não gostei do filme, mas, para mim, é um passo para trás. Sarah Connor não era um ícone de beleza. Ela era forte, estava incomodada, era uma mãe terrível, e ganhava o respeito da plateia através de areia pura. E para mim, (o benefício de personagens como Sarah) é tão óbvio. Quero dizer, metade da audiência é feminina! Eu estava certamente chocado porque (meu comentário) era controverso. Olha, provavelmente foi um pouco ingênuo da minha parte, mas vou acrescentar um detalhe, que é: eu gosto do fato de que, sexualmente, ela teve a vantagem com o personagem masculino, o que eu achei divertido”. Gal disse: “Eu não sei por que era tão importante para ele dizer isso. Eu não concordo com tudo o que ele disse. Eu sou uma grande fã de seu trabalho, e fiquei surpresa ao ler isso”.

A atriz também questionou as observações de James hostilizando, em suas palavras, “que uma mulher forte vem de uma experiência ruim, o que é estranho”.

Ainda em outro tópico controverso – Gal recebeu apenas US$ 300.000 para Mulher-Maravilha, que se tornou um blockbuster. Alguns estão dizendo que o que Gal e Patty foram pagas em Mulher-Maravilha reflete a diferença salarial de gênero em Hollywood.

Perguntada se ela achava que seu pagamento era injusto, Gal respondeu: “Eu direi que Warner Bros. me deu a oportunidade de assumir esse papel e prosperar com isso. Sem eles, eu não estaria aqui sentada. Com isso, tudo estava de acordo, fiquei muito feliz e satisfeita e eu faria isso de graça”.

“É importante para mim como uma mulher, alguém que é justa e cuidadosa, sempre me importo com isso”, disse Gal, ressaltando a questão da igualdade de remuneração. “Por causa da personagem que eu interpreto, há mais uma responsabilidade em garantir que as coisas aconteçam do jeito certo”.

Ela está entusiasmada com o importante aumento salarial que Patty está conseguindo para dirigir a sequência de Mulher-Maravilha. A cineasta foi citada dizendo que ela está usando seu salário em Mulher-Maravilha 2 para ajudar a dar um golpe contra a desigualdade salarial de Hollywood.

Em temas mais leves, Gal – arrasando em um vestido vermelho de Alexander McQueen – disse sobre trabalhar novamente com Henry Cavill, que está de volta como Superman em Liga da Justiça. “Foi maravilhoso. Nós não compartilhamos muitas cenas. Na maioria, são seqüências de luta, mas foi ótimo.” No elenco do filme dirigido por Zack Snyder também estão Ezra Miller (The Flash) e Ray Fisher (Cyborg).

Sobre se ela teve algum problema com o guarda-roupa vermelho e azul apertado, Gal respondeu: “Não, isso não aconteceu (risos). Quando filmamos Mulher-Maravilha em Londres, estava congelando porque era inverno. Quando filmamos Liga da Justiça foi bom e caloroso porque filmamos tudo no estúdio. Jason (Momoa, como Aquaman) e Ben (Affleck como Batman) tinham trajes por baixo, e todos estavam suados. Mas eu estava ótima. Eu não estava com frio, e tudo o que precisava ser coberto estava coberto”.

Quando ela não está brincando o laço dourado e a tiara da, Gal gosta de relaxar em casa com seu marido, o empresário israelita Jaron Varsano, com quem ela tem duas filhas, Alma e Maya. “Eu fiz frango tikka masala na noite passada antes de sair de casa”, ela compartilhou. “Eu amo cozinhar. Para mim, cozinhar faz com que a casa se pareça nosso lar “, disse Gal, acrescentando que ela também gosta de cantar, “mas não como profissional”.

Quanto um tempo para ela mesma, Gal admitiu: “Honestamente, eu preciso fazer mais por mim… nos últimos seis meses foram esmagadores, com a bebê (Maya, nascida em março passado) e o problema de saúde que eu tive nas costas, e Liga da Justiça está chegando… ”

Sendo a filha de uma professora de educação física (sua mãe, enquanto seu pai é engenheiro), Gal disse que fez vários esportes, incluindo o basquete. Ela era competitiva? “Muito”, ela confessou com uma risada. “Eu era boa em defesa porque eu era a mais alta”, lembrou a mulher que se tornou uma treinadora de combate no exército israelense. “Eu fui boa em rebotes e defesa. Também joguei vôlei. Foi ótimo para mim porque aprendi a trabalhar em equipe. Também joguei tênis de de dupla e eu era ruim”.

O espírito competitivo impulsionou Gal enquanto entrava na faculdade, então seguiu modelando e atuando. Ganhar o título de Miss Israel (ela competiu na edição do Miss Universo de 2004 no Equador) abriu o caminho para mais oportunidades na indústria do entretenimento israelense, até que ela conseguiu o papel de Gisele em Velozes e Furiosos. Ela estava ficando frustrada em Hollywood e estava pensando em permanecer em Israel para sempre, até que Zack lhe pediu para fazer uma audição para “algo”. E esse algo acabou se tornando Diana Prince / Mulher-Maravilha em Batman vs Superman: O Despertar da Justiça.

Gal apareceu nesse filme, o que levou ao filme solo de sucesso, Liga da Justiça, a sequência de Mulher-Maravilha, Flashpoint e o drama, Deeper.

 

Fonte | Tradução e adaptação – Gal Gadot Brasil