8
01
Gal Gadot comparece ao Golden Globes 2018

Na noite de ontem (7), Gal Gadot esteve presente na 75º edição da premiação do Golden Globes. Gal, como outras mulheres e homens no evento, compareceu vestindo um look completamente preto da marca Tom Ford. Ela foi uma das apresentadoras da noite, apresentando a categoria de “Melhor Atriz em Minissérie/Filme de TV”, ao lado de Dwayne “The Rock” Johnson, com quem trabalhou na franquia Velozes e Furiosos.

Em entrevista ao Entertainment Tonight, durante o tapete vermelho, Gal falou sobre a importância do filme Mulher-Maravilha nesse momento da história em Hollywood: “O momento e a história dessa personagem, quem ela é pelo o que ela luta, simbolizam, ironicamente, tudo o que está acontecendo agora. Sinto muito orgulho de fazer parte disso.” Gal também falou sobre Diana vestiria preto naquela noite: “Com certeza! Com certeza ela vestiria preto! Até o laço seria preto. Sim! Todos estão vestindo preto hoje, e isso é muito lindo e emocionante ver todas essas mulheres e homens juntos para dizer Time’s Up. É hora de nos respeitarmos. O tempo acabou para o assédio sexual, para o abuso, para a desigualdade. Time’s Up!”

Gal e The Rock ficaram responsáveis em apresentar a primeiro categoria da noite.

E mais uma vez ela mostrou seu apoio a causa da noite: “Vamos fazer isso juntos. Sou inclusiva, homens e mulheres juntos”. E a grande vencedora da categoria foi a atriz Nicole Kidman por Big Little Lies.

6
01
Mulher-Maravilha é um dos filmes homenageados no AFI Awards

Gal Gadot esteve presente no AFI Awards ontem (05), um almoço anual no qual 10 filmes e 10 séries de TV são considerados os melhores do ano passado.

O evento começou com a exibição de um vídeo chamado “March of Time” da AFI, que conta com mais de 100 anos da indústria do entretenimento. Este ano, claramente em resposta ao impulso público para a paridade de gênero em Hollywood, o vídeo era focado no trabalho inesquecível de estrelas femininas como Shirley Temple a Mary Tyler Moore.

Nenhum prêmio é entregue e ninguém é obrigado a fazer um discurso. Em vez disso, os apresentadores da AFI fazem breves comentários introdutórios explicando por que um projeto foi escolhido, e então eles executam um clipe. “Hoje não há vencedores. Não há perdedores. Este é um lugar para estarmos juntos como uma comunidade”, disse o presidente da AFI, Bob Gazzale.

No momento em que o vídeo de Mulher-Maravilha foi exibido no telão, mostrando a heroína cruzando a Terra de Ninguém, Brooklynn Prince, a jovem estrela de Projeto Flórida, correu rapidamente entre as mesas e pulou no colo da Gal, enterrando seu rosto no peito da atriz. Quando as luzes voltaram, Gal a abraçou e acariciou suavemente a mão na testa da atriz mirim.


O almoço, patrocinado pela Audi, também homenageou Lady Bird: É Hora de Voar, A Forma da Água, The Post, Três Anúncios Para um Crime, Me Chame Pelo Seu Nome, Projeto Flórida, Doentes do Amor, Corra! e Dunkirk.

Patty Jenkins, diretora de Mulher-Maravilha, finalizou o almoço com um brinde rápido. “Tenho a sorte de olhar para o grande Steven Spielberg”, disse ela. “Ele me lembra de algo que Katharine Graham disse: “Amar o que você faz e sentir que isso importa, como algo poderia ser mais divertido?”

 

Inicio > Eventos e Aparições | Appearances & Events > Eventos e premiações > 2018 > 05/01 | 18th Annual AFI Awards, em Los Angeles

 

Fonte | Tradução e adaptação – Gal Gadot Brasil

3
01
Gal Gadot é homenageada com prêmio no Festival de Cinema de Palm Springs

Gal Gadot participou do Festival de Cinema de Palm Springs no dia 02 de Janeiro , 2018. A atriz foi homenageada pelo Prêmio de Estrela em Ascensão (Rising Star Award). Ao subir ao palco para receber o prêmio, Gal pareceu conter as lagrimas antes de iniciar seu discurso:

“Muito obrigado por essa honra”, disse Gadot. “Isso é tudo muito novo e estranho para mim, me sinto tão honrada por estar aqui, especialmente em uma sala cheia de pessoas que me inspiram e admiro tanto. Obrigado. Sempre senti que foi bastante gratificante para fazer o que eu amo e trabalhar com pessoas tão maravilhosas. Então, receber esse premio é muito especial.”

“Quatro anos atrás, fiquei cansado de todas as rejeições que tudo que eu queria era parar de atuar. Mas, é claro, o universo funciona de maneiras misteriosas e maravilhosas e então recebi um telefonema muito especial. Zack Snyder teve essa visão forte de quem seria a Mulher Maravilha e eu sou sempre grato por ele ter me dado a oportunidade de interpretar esse personagem icônico.”

“Trabalhar em Mulher Maravilha foi uma mudança de vida. Esse personagem representa tanto do que eu acredito. Ela é sobre fazer o que é certo, ajudar os outros, aderir às suas crenças, e ela é motivada pela mais bela qualidade: o amor. Isso é algo de que todos precisamos e que nos inspira”.

 

Inicio >  Eventos e Aparições | Appearances & Events > Eventos E Premiações > 2018 > 02/01 | Palm Springs Film Festival – Tapete Vermelho

Inicio >  Eventos e Aparições | Appearances & Events > Eventos E Premiações > 2018 > 02/01 | Palm Springs Film Festival – Cerimônia

Inicio >  Eventos e Aparições | Appearances & Events > Eventos E Premiações > 2018 > 02/01 | Palm Springs Film Festival – Sala de Imprensa

Inicio >  Eventos e Aparições | Appearances & Events > Eventos E Premiações > 2018 >  02/01 | Palm Springs Film Festival – Bastidores

 


Gal chegando ao evento
 


Discurso de Gal Gadot ao receber o prêmio
 

Fonte | Tradução e adaptação – Gal Gadot Brasil

28
12
Painel de Liga da Justiça na ACE Comic-Con

No dia 10 de dezembro, Gal Gadot, Henry Cavill, Jason Momoa e Ray Fisher participaram de um painel de Liga da Justiça, na ACE Comic-Con, apresentado por Geoff Boucher. Os atores falaram sobre a dinâmica da equipe, sobre o por que super-heróis chamam tanta a atenção do público, quem venceria numa luta da Liga da Justiça contra os Vingadores e muito mais. Confiram abaixo o painel, sem legendas:

 

Inicio > Eventos e Aparições | Appearances & Events > Eventos e premiações > 2017 > 09/12 | Painel de “Liga da Justiça” na ACE Comic Con, em Long Island

28
12
Gal Gadot entrega “Bolsa de Estudo Mulher-Maravilha” para estudante

Gal Gadot apresentou uma bolsa de estudos da Mulher-Maravilha, da Warner Bros., durante o café da manhã do evento 2017 Women in Entertainment, da The Hollywood Reporter, que celebra as mulheres no mundo do entretenimento, realizado em Los Angeles, no Milk Studios.

“Eu tive o privilégio de retratar uma super-heroína no cinema, mas as jovens mulheres aqui hoje são as verdadeiras super-heroínas”, disse Gadot no evento. “Elas superaram tantos desafios em suas vidas, e estão motivadas a fazerem mais. Elas são as verdadeiras líderes do amanhã”.

Esta foi a primeira vez que a Warner Bros. ofereceu uma bolsa de estudos, que é uma jornada completa de quatro anos para a Universidade Loyola Marymount. A bolsa foi concedida a uma jovem chamada Carla Arellano, que começou na universidade algumas semanas atrás.

“Ela é forte, opinativa e corajosa. Ela quer ser uma roteirista, e ela já impressionou todos os que a conhecem – seus colegas mentores, seus professores e todos nesta sala que a conheceram”, disse Gadot. “Ela não poderá continuar na LMU sem este financiamento. Semelhante a muitas outras grandes jovens neste programa, sua educação está pendurada por um fio”.

Carla Arellano, cujo sua mentora é a executiva de Mandeville Films, Laurie Zaks, ficou surpresa com a presença surpresa de Gadot e a multidão riu quando ela subiu ao palco: “Eu sabia que algo estava acontecendo! Vocês são sorrateiros.”.

Depois de agradecer seus pais, ela disse: “Tudo o que posso pensar agora são quantos papéis eu tenho que escrever para as minhas finais, e agora eu tenho que fazer isso por causa disso!” Ela completou o discurso com uma citação de Frida Kahlo: “Pés, para que eu preciso de você quando tenho asas para voar?”, E disse que teve sorte de “ser informada desde uma idade jovem que tenho asas”. Gadot limpou suas lágrimas enquanto Arellano falava, com grande parte da plateia também ficando emocional.

 

15
12
Mulheres em Hollywood: Patty Jenkins e Gal Gadot tiveram uma conexão instantânea que deu poder á “Mulher Maravilha”

Gal Gadot e Patty Jenkins são capa da revista Deadline no mês de dezembro, onde concederam uma entrevista que mostrou o entrosamento da dupla. Confira a tradução abaixo:

No primeiro dia em que se conheceram, Patty Jenkins e Gal Gadot, entraram em um restaurante de sushi e não pararam de falar por quatro horas. “Nós duas somos apaixonadas por tantos assuntos“, diz Gadot. “Vida familiar, Segunda Guerra Mundial, Holocausto, os seres humanos, raça, política. Estávamos chateadas e ficamos felizes emocionadas “.

Essa conversa ainda está em andamento. Meses depois do filme, Mulher-Maravilha, ter se tornado o maior sucesso do verão, o par continua com química, tanto que falam em sincronia. Elas não concordam, elas se sobrepõem, ambas as vozes preenchendo o quarto ao mesmo tempo como duas harmoniosas guitarras.

Percebemos muito rapidamente que queríamos fazer o mesmo“, diz Jenkins. Eles sonhavam em fazer um clássico filme de super-heróis no de estilo Richard Donner  – que fosse emocionante, romântico e engraçado e, acima de tudo, inspirador. Jenkins não contratou Gadot. A estrela já fazia parte da franquia após a breve estréia da Mulher-Maravilha em Batman vs Superman: A Origem da Justiça. No entanto, ambos sabiam desde a  primeira reunião que eram uma combinação feita em Themyscira.

Gadot ri , “Estávamos destinadas a estar juntas“.

Desde então, elas se tornaram cada vez mais próximas. Elas filmavam seis dias por semana, e no sétimo dia, se juntavam com os filhos de ambas. No final das filmagens, depois de meses de acrobacias, chuva e cansaço físico, quando o joelho de Gadot começava a doer, o de Jenkins também doía. “O nosso relacionamento se tornou simbiótico“, diz Gadot. “Se meu ombro direito estivesse dolorido, o ombro esquerdo dela também estava. Ela estava refletindo minha dor “.

Gadot ganhou os músculos doloridos de uma estrela de ação. Mas, para se preparar para as cenas de batalha, ela e Jenkins se preocupavam mais em calibrar os sentimentos internos da Mulher-Maravilha do que a cenas de luta. Pergunto a elas sobre como filmar as cenas centrais em uma terra sem homens, um balé em câmera lenta de balas e tiros de canhões, e Jenkins se concentra nas cenas conversativas antes da carga perigosa e na frustração de uma continuidade de Mulher-Maravilha ser informada não.

Eu não pensei na de atingir ou de atacar“, diz Gadot. “Sempre foi, ‘Qual é o meu estado emocional? Por que vou fazer isso?’Jenkins pediu a Gadot que ajustasse a raiva da Mulher-Maravilha, geralmente, deixando-a baixa.

Ela não é viciosa“, diz Jenkins. Assista atentamente e observe Gadot lançando sua espada para espancar os alemães com o punho não fatal.  As audiências são usadas para blockbusters que pausam o enredo durante as cenas de ação para que as pessoas possam torcer. Mas estude os movimentos de Gadot e veja como a Mulher-Maravilha revela dimensões de sua personalidade, mesmo quando ela corre silenciosamente por um campo.

A história não para porque você está lutando“, diz Jenkins. “A luta é a história“.

Exatamente!“, Diz Gadot. “Para-para-” Ela acena as mãos procurando a palavra certa.

Demonstrar emoção?” Adivinha Jenkins, lendo sua mente.

Sim! Para expressar-se!Gadot sorri.

Atuar é tão corpóreo“, diz Jenkins. “Estamos lendo vários tipos de micro-pistas sobre outro ser humano e o que eles querem. Como ela está de pé, como ela está se sentindo, como ela está  se sentindo por dentro, como ela está se aproximando, são coisas sutis. As falas que ela diz são apenas uma parte disso.

A Mulher-Maravilha anda com confiança porque acredita que o mundo é amável. E quando é revelado que não é, sua linguagem corporal muda. Agora, sua confiança está em camadas – emoções que Gadot pensou muito antes de filmar cada cena  para que, quando ela estivesse no momento, ela não precisaria estar conscientemente delas. Ela imaginou-se usando as qualidades da Mulher-Maravilha quase como uma segunda roupa. A vida interior do personagem contou-lhe como se agir.

Essa cena crucial na torre de controle, onde a Mulher-Maravilha descobre que matar Ares não resgata a humanidade de sua fome de violência, foi um dos mais difíceis de obter. Os seres humanos crescem sabendo que são capazes tanto do bem como do mal. A Mulher-Maravilha pensou que éramos melhores do que isso, uma inocência que é tão estranha para os adultos, que parece ignorância. “É fácil ficar condescendente“, diz Jenkins. Gadot não estava apenas lutando contra o deus da guerra – ela teve que lutar contra o cinismo do público.

Grandes cenas de desempenho, onde voltas emocionais muito sensíveis importam, não acontecem durante a noite”, diz Jenkins. Ela se volta para Gadot e sorri. “De vez em quando eles acontecem! Como a cena da dança! “, Ela diz, pensando na cena em que Gadot e Pine se balançam na praça da cidade de aldeões libertados. “Essa foi a coisa mais fácil!

Gadot encolhe os dedos, “Como da primeira vez!

Tanto ela quanto Chris são super inteligentes“, diz Jenkins. “Como resultado, a rapidez de sua dinâmica, a velocidade de pequenas coisas como o movimento dos seus olhos e o tempo de reação, é incrível para mim“.

Tenho muita,  muita sorte de que o mundo fez com que Patty dirigisse esse filme“, ​​diz Gadot, radiante. A atriz fica irritada quando as pessoas pensam que Jenkins apenas se tornou diretora de Mulher Maravilha por ser mulher. “Não, Patty foi o diretor certo porque sabia exatamente o que queria e como obtê-lo“, insiste Gadot. Jenkins trabalha em torno de sets desde a idade de 20 anos, construindo seu currículo de operador de câmera para diretor de curta-metragem para o hitmaker feminino mais bem pago, bem, devemos agradecer ao seu salário para a continuidade de Mulher-Maravilha

Além disso, Jenkins nunca para de filmar até que ela tenha a cena perfeita. “Patty sempre dá o seu melhor“, diz Gadot, de modo que todo mundo no set se torna igualmente investido, até o ponto em que quando a estrela teve que filmar enquanto estava grávida de cinco meses – sua barriga foi pintada de verde para que pudesse ser animada na edição – Gal estava de bom grado atirando-se no chão durante as cenas. Eles decidiram não fazer uma segunda tomada das cenas.

No último dia da filmagem, Jenkins era ainda mais um perfeccionista do que o habitual. Era o aniversário do criador da Mulher-Maravilha, William Marston – pura coincidência – e tudo o que eles precisavam era uma cena final de Gadot agachada no chão. Mas Jenkins não conseguiu parar de pedir retomadas. Poderia Gadot inclinar-se mais para a frente? Ela poderia levantar o pé? As posições ficaram mais estranhas e estranhas. Certamente, eles tinham as filmagens? Jenkins teve que sufocar suas risadinhas. Ela simplesmente não queria que o filme terminasse.

Ela me pregou uma peça!“, grita Gadot. Ambos começaram a rir. A Mulher-Maravilha poderia ter descoberto o problema mais cedo com o laço da verdade. Mas a atriz não se importa nem um pouco.

Inicio > Scans de revistas | Magazine Scans > 2017 > Dezembro – Deadline Hollywood

Inicio > Ensaios Fotográficos | Photoshoots > 2017 > Josh Telles – Deadline

 

Fonte | Tradução e adaptação – Gal Gadot Brasil

23
11
Gal Gadot confirma saída de Brett Ratner de Mulher-Maravilha 2

Em entrevista ao programa americano Today Show, no dia 15 de novembro, Gal esclareceu a notícia divulgada pelo site Page Six, onde afirmava que a atriz deixaria a produção de Mulher-Maravilha 2 caso o produtor Brett Ratner, acusado de assédio sexual por algumas mulheres, não fosse afastado do projeto.

Durante sua conversa com a apresentadora, Savannah Guthrie, Gal confirmou a saída de Brett e explicou como isso aconteceu de fato. Além de falar sobre os filmes Mulher-Maravilha e Liga da Justiça. Assista o vídeo, legendado, abaixo!

 

Inicio > TV e Rádio | TV & Radio > 2017 > 15/11 | Today Show

 

Gal também compartilhou uma foto dos bastidores em seu Twitter:

Brilhante e cedo com o @TODAYshow conversando sobre Liga da Justiça. Obrigado por me receberem!

22
11
Gal Gadot e Patty Jenkins trocam elogios em entrevista para o LA Times

O site Los Angeles Times disponibilizou uma entrevista, cheia de elogios, de Gal e Patty, além de uma sessão fotográfica maravilhosa das duas. Confira abaixo!

Quando Gal Gadot e Patty Jenkins se juntam, é puro amor — mas elas merecem.

Mulher-Maravilha está prestes a corar.

“Há uma inteligência sem esforço, e humor, e prazer”, diz a diretora Patty Jenkins, de Mulher-Maravilha, estrelado por Gal Gadot, que está sentada ao lado dela no sofá. “Você atingiu todas as notas de força, poder e cordialidade, mas há essa outra deliciosa qualidade que a Mulher-Maravilha certa pode trazer, que é ela estar confortável em sua própria pele, então ela pode ser engraçada, rápida e brincalhona; Esse espírito leve e maravilhoso de uma pessoa generosa. Isso me faz querer vê-la o dia todo e estar com ela e ser como ela.”

Então, olhando para o estilo de luta sem glamour da heroína:

“Uma das minhas coisas favoritas sobre Gal é -“

“- que ela corre muito engraçada”, interrompe Gadot, rindo.

“- é que você parece fantástica, não importa o que faça! Eu não estava saindo da minha direção para fazê-la parecer boa ou ruim, eu conseguia entender a atuação”.

Com algum constrangimento, a atriz olha para o entrevistador, que não vai contestar o assunto.

“Ela é super talentosa”, diz Gadot de sua diretora, se recuperando. “Quando nos conhecemos pela primeira vez, comemos um sushi muito bom, estávamos falando sobre a vida e o fato de possuímos essa ferramenta – o título de Mulher-Maravilha e tantas pessoas se preocupavam tanto com esse personagem, e como nós teríamos muita exposição. E ela não queria apenas fazer um filme divertido, queria que ele fizesse uma declaração. E nós vivemos em um mundo tão cínico agora, onde as piadas são com um piscar de olhos, queríamos dizer algo verdadeiro e real e muito necessário agora”.

“E ela é uma pessoa maravilhosa”, diz Gadot rindo, tocando o ombro de Jenkins, “e eu te amo tanto”. As duas riem, se abraçando.

Sim, uma conversa com Jenkins e Gadot é uma grande festa de amor. Para ser justo, estas duas ganharam uma volta da vitória.

Há muitas razões pelas quais a amada Amazona levou 75 anos para chegar ao cinema, mas numa época em que os orçamentos de US$ 150 milhões são comuns, é difícil explicar educadamente porque nenhuma mulher recebeu as rédeas de um sucesso até agora. Jenkins é a primeira e a primeira diretora feminina a ter um filme de ação live action com mais de US$ 800 milhões arrecadados (pelo menos US$ 200 milhões a mais do que o recorde anterior Mamma Mia!), entre seus muitos registros de bilheteria.

E, enquanto os filmes anteriores do Universo de Liga da Justiça tinham em média uma pontuação no Rotten Tomatoes equivalente a uma batida em um beco escuro (36%), Mulher-Maravilha- é um dos filmes mais revistos do ano (92%). Dizer que foi feito com um toque mais leve é como comparar o shiatsu com a carícia de uma bigorna. Mas não era apenas o humor e a ausência de filtros verdes escuros: a própria heroína representa um idealismo que não possui seus predecessores severos.

Jenkins diz: “Isso é algo que Gal e eu acreditamos – uma heroína que é durona e poderosa e todas essas coisas, mas também amorosa, pensativa e gentil”.

Gadot acrescenta: “Ela nunca viveu sob qualquer mentalidade social de que os homens são melhores ou mais fortes e as mulheres inferiores. Ninguém queria trazer uma personagem que estava pregando algo e zangada, mas ela é inconsciente nesta questão de gênero.”

“Muitas vezes, quando você vai ver filmes, a mulher forte é dura, fria e distante. Queríamos torná-la real. As mulheres sempre foram fortes e independentes, mas elas também foram calorosas e amorosas e gentis”.

Gadot cita a insistência de Jenkins na verdade emocional, mesmo nas cenas de luta. A diretora a dirigiu contra a raiva, fazer chutes e socos apenas significava um fim.

“Eu fiz alguns filmes de ação antes”, diz a estrela de vários filmes de Velozes e Furiosos, bem como Vizinhos Nada Secretos. “Esta foi a primeira vez que eu pude fazer a ação de maneira tão emocional”.

Jenkins nunca considerou o gênero como uma limitação à sua mensagem. “Eu só quero fazer coisas bonitas, grandes e poderosas que são divertidas e interessantes, mas que tenham um impacto na sua vida e podem mudar o mundo”, diz a diretora de seu plano de carreira. “Eu não acho que exista um gênero para o qual você não deveria apontar. Achava [em alguns anos] que os documentários eram as coisas mais emocionantes e incríveis, ou os filmes da Pixar eram a coisa mais incrível. Não há gênero que eu esteja fechada. Penso que a arte sempre foi assim – as coisas sérias são levadas mais a sério. Mas isso não significa que seja verdade, e não penso nisso assim”.

A positividade do filme pode ser um dos fatores que o separa de seus iguais e obtenha uma força na temporada de prêmios.

“Outro dia, em uma sessão de perguntas e respostas, no SAG um membro disse que sua sobrinha, ela perdeu suas duas pernas e acho que ela tem 7 anos, ela vê Mulher-Maravilha todos os dias e é assim que ela ganha poder e força”, diz Gadot. “É esmagador”.

Jenkins diz: “Todos têm uma Mulher-Maravilha dentro delas, sem olhar por gênero.”

“Quando eu estava no DGA, um cara que tinha uma espinha bífida e que estava em uma cadeira de rodas, ele disse: “Passei toda a minha juventude com uma camisola e estava nu, sendo cutucado e pressionado e sem controle… Quando ela tira seu manto e entra [no campo de batalha] com tão pouco – quão vulnerável ela era, e ainda tão forte…”

“Foi muito emocional para ele”.

Inicio > Ensaios Fotográficos | Photoshoots > 2017 > Jay L. Clendenin – Los Angeles Times

 

Fonte | Tradução e adaptação – Gal Gadot Brasil