O Gal Gadot Brasil é um site sem fins lucrativos, não-oficial e sem qualquer afiliação à Gal ou qualquer pessoa associada a ela. Todos os vídeos e fotos pertencem aos seus respectivos donos, a não ser que seja informado o contrário.
“O feminismo é sobre a liberdade” diz Gal Gadot em entrevista

Confira abaixo mais uma entrevista da Gal feita pelo site Time Out durante a divulgação de Mulher-Maravilha.

 

“De onde você está ligando? Você é Inglês? Está chovendo? Eu sinto muita falta de Londres.” Eu estou no telefone com a atriz israelita Gal Gadot (pronunciado Gah-dote), que está em casa em Los Angeles, tecnicamente ainda em licença maternidade depois de dar a luz à sua segunda filha em março – em um verdadeiro estilo de super-herói, ela refilmou algumas cenas para Mulher-Maravilha enquanto estava grávida de cinco meses. Ela cresceu perto de Tel Aviv e sonhou em se tornar advogada, antes de entrar para o Miss Israel. Seguiu uma carreira de modelo, interrompida para cumprir seus dois anos obrigatórios no exército israelense, o que significa que ela conhece seu caminho em torno de uma cena de luta.

O que você mais sente falta sobre Londres?
Tudo! Sinto falta dos parques, das pessoas, dos restaurantes, do sotaque. Tudo além do clima.

Você quase deixou de atuar há alguns anos atrás. Por quê?
Ser uma atriz é difícil. A quantidade de rejeição que você recebe pode ser exaustiva. Estava literalmente certa antes de fazer uma audição para Mulher-Maravilha.

Isso acabou bem. É verdade que você não sabia para qual filme você estava fazendo o teste?
Exatamente. Era tudo muito secreto. Mas sem nunca saber disso, acho que a Mulher-Maravilha era o papel dos meus sonhos. Eu cresci assistindo mulheres sendo princesas ou donzelas em perigo. Tivemos Meryl Streep e Charlize Theron, mas não era comum ver grandes papéis para as mulheres.

Você tem alguma preocupação de que o traje pequeno da Mulher-Maravilha não seja feminista?
Não! Eu amei. Penso que há um equívoco sobre o que é o feminismo. Para mim, o feminismo é sobre a liberdade. E a Mulher-Maravilha não tem nenhum problema com seu corpo. Não há nenhuma razão para ela ser coberta em todos os momentos, especialmente vindo de Themyscira, uma ilha quente. Além disso, é prático lutar com ele.

Mulher-Maravilha é o primeiro filme de super-herói liderado por mulheres em uma década. Você está sentindo a pressão?
Não. Eu sou o meu maior crítico, mas acredito que temos algo certo com o filme. Agora, tudo o que me interessa é que as pessoas gostem.

O que sua filha de cinco anos disse quando viu você vestida como Mulher-Maravilha?
Ela me perguntou: “Mamãe, por que você está usando uma tiara? Isso significa que você é uma rainha? Sou uma princesa?” Ela adorava brincar com meu laço.

Você ganhou Miss Israel, mas você era uma rainha rebeld. Isso é verdade?
Eu fui! E não sou uma pessoa rebelde. Entrei pela experiência, mas nunca esperei vencer. Tinha medo de que o mesmo acontecesse no Miss Universo, então fiz tudo o que pude para garantir que não ganhasse. Eles pedem que você venha para o café da manhã com vestido de cocktail e maquiagem, e isso não sou eu.

No exército, você era uma treinadora de combate. Você era durona?
Não! Sou uma boa garota.

 

Inicio > Ensaios Fotográficos | Photoshoots > 2017 > Elizabeth Weinberg – The New York Times

 

Fonte | Tradução e adaptação: Gal Gadot Brasil – Não reproduzir sem os créditos