O Gal Gadot Brasil é um site sem fins lucrativos, não-oficial e sem qualquer afiliação à Gal ou qualquer pessoa associada a ela. Todos os vídeos e fotos pertencem aos seus respectivos donos, a não ser que seja informado o contrário.
Teen Choice Awards: Saiba como votar em Gal Gadot e seus filmes

Gal Gadot foi indicada no Teen Choice Awards, saiba como votar nela e em seus filmes!

Para votar na Gal pelo site (http://teenchoice.votenow.tv/) usem a extensão Hola VPN! Ativem a extensão, aceitem a solicitação de conexão, abram o navegador, depois o site do Teen Choice, façam o login e votem na Gal e em seus filmes.

Já a votação pelo twitter, funciona da seguinte forma, vocês podem dar RT em quantos tweets quiserem, mas só podem indicar ela uma vez por dia.
Então não precisam postar vários tweets por dia indicando ela, somente um vai computar, mas RT sim, podem ser vários.

Para votar em Keeping Up With The Joneses
My #ChoiceComedyMovie is @TheJonesesMovie

Para votar em Mulher-Maravilha
My #ChoiceActionMovie is @WonderWomanFilm

Para votar em Gal Gadot como atriz de ação por Mulher-Maravilha
My #ChoiceActionMovieActress is @galgadot

Para votar em Gal Gadot como atriz de comédia por Keeping Up With The Joneses
My #ChoiceComedyMovieActress is @galgadot

LA Times: Como era a vida real Amazona no set de Mulher-Maravilha

Durante a divulgação de Mulher-Maravilha, o LA Times conversou com as atrizes Gal Gadot, Robin Wright e Connie Nielsen. As atrizes contaram algumas curiosidades sobre os trajes, as coreografias de luta e como foi trabalhar em um set onde a maioria era do sexo feminino. Confira o vídeo legendado e a entrevista completa, abaixo.

 

Mulher-Maravilha pode ser a estrela do blockbuster esperançoso da Warner Bros. neste fim de semana, mas ela não chegou sozinha. A combinação icônica de justiça, esperança, amor e movimentos sérios de combate vem da criação em Themyscira, uma ilha de fantasia de mulheres guerreiras chamadas Amazonas.

Para tornar a ilha e os seus habitantes possíveis, o estúdio recrutou algumas guerreiras do mundo real, incluindo a lutadora profissional Madeleine Vall Beijner, a campeã da CrossFit Brooke Ence e a boxeadora profissional Anne Wolfe.

Mas as atrizes principais são igualmente ferozes. Robin Wright interpreta a Antiope, mortal com uma espada e capaz de atirar não apenas uma, mas três flechas de uma vez. Vestindo a coroa (e casaco de peles) da rainha Hippolyta é Connie Nielsen, e é claro que existe a lutadora mais nova do clã, Gal Gadot, nossa mais nova Mulher-Maravilha.

Nós trouxemos essas três juntas para um conselho Amazônico para falar sobre o estilo dos movimentos de batalha, armadura de couro e como é trabalhar em um conjunto composto principalmente por mulheres.

 

Vocês passaram muito tempo filmando no local juntas. Você formaram uma ligação? Vocês se sentiam como as Amazonas quando filmava?
Nielsen: Eu absolutamente fiz.
Wright: Foi incrível, né? Foram mais de 120 mulheres.
Gadot: Era como uma grande festa de mulheres. A coisa maravilhosa sobre isso é que todas nos demos realmente, muito, muito bem. Todas estávamos tão felizes uma com o outro. Eu vi ela gravar, eu estava tipo, “Isso foi tão bom, Robin!”
Nielsen: Muito apoio.
Gadot: Havia muito apoio e amor. E não foi falso.
Wright: Era como estar em uma equipe de futebol profissional…
Nielsen: De mulheres.
Gadot: Exatamente. Então não houve inveja. Sem tensão.
Nielsen: E então, nós também conseguimos trabalhar juntas. Nós também tivemos que fazer todo esse treinamento.
Wright: Muito mais fácil do que ir sozinha na academia.


Como foi estar em um set onde as mulheres eram a maioria?
Nielsen: Era o mundo oposto. Foi como se os homens estivessem de pé no parque com as crianças enquanto estávamos na praia com os cavalos e as espadas.
Gadot: Foi como uma era da nova era. Todos os nossos maridos estavam caminhando com os carrinhos enquanto trabalhávamos na praia.
Nielsen: Mas também era um lugar bem amado para crianças, nos sentamos e conversamos sobre nossos filhos. Todas nós trouxemos nossos filhos para o set de filmagens e era apenas um tipo de roda livre, muito relaxado.
Gadot: Sim, devemos fazer um filme assim novamente.


Com que frequência você algo assim em Hollywood? Você consegue fazer uma Rainha Amazona ou uma mulher General Amazona ou Mulher-Maravilha? Com que frequência você vê um papel como esse?
Gadot: Nunca.
Nielsen: Nunca.
Wright: Nunca.
Nielsen: O que é realmente incrível é a maneira pela qual é completamente natural ao longo do filme. Eles não fazem grandes negócios com isso. É apenas isso. Isso é o que eu acho diferente. Não estamos tentando destacá-lo ou aumentar as apostas para isso. Nós apenas aceitamos essa autoridade.
Wright: É uma tribo nômade unissex que nasceu para lutar e proteger, sim, Themyscira e essa cultura, mas também para trazer a mensagem passada por seu personagem, que é apenas construir um futuro de humanos bondosos. Trazendo isso de volta ao mundo.
Gadot: Uma vez que você não dá atenção para a questão de gênero, e não fala sobre o fato de que há mulheres fortes, não se torna uma questão.
Nielsen: Essa é uma das minhas coisas favoritas.
Gadot: Quando Diana vai ao mundo real, ela é completamente inconsciente quanto às regras de gênero e da sociedade, de que as mulheres não são iguais aos homens. Essa é a maneira de mostrar porque, honestamente, no final do dia, somos todas almas iguais neste universo. E não importa se somos homens ou mulheres.
Nielsen: Eu acho que a maneira como Gal faz a cena, quando ela entra na sala cheia de generais, como se ela estivesse absolutamente consciente de que poderia ser de outra maneira, que ela tem o direito de estar lá. Eu acho que, se você realmente quer dizer alguma coisa aos seus filhos é que todas nós, todos merecem estar naquela sala.


Fale mais sobre a cena da luta na praia. Isso era difícil de filmar ou foi divertido?
Wright: Foi incrível.
Nielsen: Era fisicamente difícil fazer aquelas cenas na areia. Mas foi incrível.
Wright: Mas então, sempre gritamos: “Posso fazer de novo? Não, eu posso fazer isso melhor. Eu sei que posso usar minha espada melhor”.


Foi tão bom ver General Antiope ser lançada sobre os atacantes e disparando flechas nos bandidos. Como foi ver essas cenas quando o filme terminou?
Gadot: Nunca vi na minha vida uma cena cheia de mulheres lindas e fortes que estão apenas lutando juntas em uma harmonia tão linda fazendo coisas malucas e incríveis. Nunca vi na minha vida algo assim.
Wright: Sim, era um balé.
Nielsen: Era quase como se fosse um novo paradigma para cenas de ação. Não  como uma versão feminina de uma cena de ação masculina. É uma coisa completamente diferente. E isso é o que eu acho incrível; É realmente, muito bem adaptado para mulheres.
Wright: Projetado para a maneira como nos movimentamos. Não nos movemos como homens.


O que você achou da Themyscira?
Nielsen: Nós estávamos em locais reais que eram realmente bonitos – sim, eles foram aumentados pelo CGI, mas eles eram incrivelmente bonitos, os sets de filmagens.
Wright: Estávamos em uma das cidades mais antigas da Itália, Matera, acho que tem 9 mil anos.
Gadot: E você anda por lá e você realmente vê pavões, é uma loucura. Foi mágico.


Isso fez vocês se sentirem imortais? Seus personagens viveram por anos e anos. Como é estar dentro de uma cidade antiga acrescenta como atriz?
Gadot: Complementa nossa performance. Em Matera, você sente como se estavesse de volta aos velhos tempos. Senti como se estivesse em Jerusalém. Eu acho que foi muito importante para Patty que filmássemos em locais reais.
Nielsen: Mas também filmando em 35 mm, você ganha essa experiência aumentada e é muito incomum para esse tipo de filme, é como ficar ancorado em uma realidade.
Wright: Quero dizer, imagine gravar todas essas sequências em um quarto como este com um pano de fundo verde. Temos que estar no lugar real. E sentir os elementos. Estar lá fora e estar frio, congelando durante as manhãs em nossas pequenas saias de couro.
Nielsen: E então, por volta das 15h, estávamos morrendo e usando espartilhos.


Como foi a primeira vez que experimentou seu traje?
Nielsen: Eu acho que foi como ser amarrada em uma armadura.
Wright: Couro.
Nielsen: Ela meio que faz algo. E tem o fato de segurar uma espada na mão. Não sei se sou eu, mas isso me fez sentir muito poderosa.
Wright: Sra. Excalibur.


O filme mostra brevemente a relação entre a Rainha Hippolyta e Diana. Vamos ver mais disso no futuro?
Gadot: Claro. A relação mãe e filha é sempre uma relação linda, mas complexa. Eu acho que há muito mais a explorar.
Nielsen: E Wright e eu também conseguimos fazer mais em “Liga da Justiça”. Como irmãs também.  Algo tipo duronas também. Não podemos dizer muito, mas…
Wright: E mais da história, vocês ganham mais da história.


Muitas pessoas cresceram adorando a Mulher-Maravilha. Ela era famosa na Dinamarca, Connie? Ela era famosa para vocês?
Nielsen: Eu sabia muito pouco sobre a Mulher-Maravilha. Eu tinha visto algumas fotos quando mudei para cá, mas eu sabia muito pouco e, de certa forma, era por isso que era uma experiência tão incrível porque eu estava descobrindo tanto enquanto eu estava fazendo isso. É a melhor coisa, quando você está em um espaço criativo, descobrindo algo e ficando apaixonado e animado por isso.
Gadot: Eu sinto o mesmo porque eu sabia sobre ela, mas não conhecia muito sobre ela.


E agora você é ela.
Gadot: Quem acreditaria?

 

Inicio > Ensaios Fotográficos | Photoshoots > 2017 > Allen J. Schaben – Los Angeles Times

 

Fonte | Tradução e adaptação: Gal Gadot Brasil – Não reproduzir sem os créditos

USA Today: Gal Gadot fala sobre usar rasteiras no tapete vermelho

O USA Today entrevistou a Gal durante a press junket de Mulher-Maravilha e teve a sorte de usar o laço da verdade na atriz. Leia abaixo esse bate-papo divertido, traduzido:

 

Depois de completar Mulher-Maravilha, você entrou na Liga da Justiça com mais confiança?
Literalmente, no dia (depois) que eu finalizei Mulher-Maravilha, comecei a filmar Liga da Justiça (nos cinemas, 17 de novembro). É realmente bom conhecer o seu personagem em um grau onde você é muito opinativa sobre o que ela deveria fazer e o que ela não deveria fazer.

Quais vilões você quer que Mulher-Maravilha enfrente em filmes futuros?
Eu amo o Jesse Eisenberg. Gostei muito do que ele fez com Lex Luthor (em Batman v Superman: Dawn of Justice). E é como se houvesse um negócio inacabado lá.

Você deu à luz sua segunda filha, Maya, há dois meses. Você ainda está no treinamento da Mulher-Maravilha?
Eu estava treinando até quatro semanas depois de ter o bebê. Mas é um regime diferente. Não é tão intenso. E meu corpo precisava desse tempo livre.

Mulher-Maravilha ocorre na Primeira Guerra Mundial. Se você pudesse levar Diana Prince em outra era, qual você escolheria?
Eu amo os anos 90 apenas por causa da música. De repente, você a vê usando patins – pode ser engraçado! Então, os anos 80 ou 90.

Já caiu a ficha sobre magnitude da Mulher-Maravilha?
Tudo o que acontece comigo, tenho um atraso na compreensão verdadeira do que está acontecendo. Por exemplo, quando ganhei o concurso Miss Israel – e Miss Israel é um grande problema em Israel, ou pelo menos costumava ser – nunca planejei vencer, apenas fui para experimentar. De repente, ganhei. Como o quê?! E somente depois que eu terminei meu (reinado), eu era como, ‘Oh, meu Deus, eu era Miss Israel! Que estranho!’ Isso me atinge apenas mais tarde.

É verdade que quando você competiu pela Miss Universo em 2004, você não usou vestidos suficientes para todos os eventos?
Oh, não. Eu levei tudo, mas eu estava sendo rebelde. Eles queriam que usássemos vestidos de noite para o café da manhã e vestidos de cocktail para o almoço. Era tão ridículo. Eu só usava jeans porque eu era tipo, ‘de jeito nenhum’. Mas eu tinha muitos vestidos na minha mala.

Você obteve grandes elogios recentemente pelo uso de rasteiras na estreia de Mulher-Maravilha.
Isso é algo que eu tenho dito há anos, que eu quero criar essa tendência de fazer tapetes vermelhos de rasteiras. Eu adoro usar saltos altos – é lindo, é sexy, seja o que for. Mas ao mesmo tempo, especialmente as pessoas altas, isso nos deixa fora de equilíbrio. Podemos cair a qualquer momento. Não é bom para as costas. Por que fazemos isso? Eu podia usar saltos altos (apesar de ter uma torção nas costas). Mas eu era como, ‘Vamos usar rasteiras!’ Estive esperando por esse momento.

 

 

Fonte | Tradução e adaptação: Gal Gadot Brasil  – Não reproduzir sem os créditos

Glamour México: Gal Gadot, a Mulher-Maravilha livre, renovada e forte

Gal Gadot é capa de mais uma revista, dessa vez é a Glamour no México e na América Latina. Confira abaixo a entrevista traduzida:

 

Enérgica, sorrindo e com um vibração poderosa; Definitivamente ninguém como Gal para interpretar Mulher Maravilha.
A atriz nos contou os desafios e satisfações em dar vida a este personagem.

Bem-vindo 2017, onde o poder, a coragem e a energia que sempre tem caracterizado as mulheres têm uma forte ressonância na sociedade e em tudo que nos rodeia.

Desde nossos círculos sociais até nosso local de trabalho, e o que dizer ao mundo do entretenimento… Sim, inclui o dos super-heróis. Com esta filosofia feminista, chegam histórias mais complexas e, portanto, mais interessantes e profundas. Por tudo isso, um dos filmes que me emocionou, quando a produção foi anunciada, foi o da Mulher-Maravilha. Inteligência, segurança, encanto e poder. Como não ficar animado para ver esse personagem no cinema, renovado?

Depois do grande trabalho feito por Lynda Carter na década de 70, a atriz que tomaria o bastão, teria muito trabalhando para adaptar no mundo contemporâneo. E vendo Gal Gadot, com o seu encanto, presença e sorriso vencedor, sem dúvidas, a escolha foi perfeita. Enquanto ela apareceu em Batman v Superman, esta parte vai se concentrar inteiramente sobre como ela traçou o caminho para se tornar a heroína.

Conheci Gal em uma visita, em setembro, em Londres durante as filmagens. Apesar do tempo frio e chuvoso (como um clichê do Reino Unido, mas não menos encantador), Gal se mostrou o tempo todo animada e feliz. Há sempre algo mágico quando você visita um set de filmagens, porque observa o esforço e dedicação que as pessoas investem em um projeto, mas especificamente para Mulher Maravilha, já que estamos falando de Gal, Chris Pine (co-estrela), Patty Jenkins (diretora) ou alguém de equipe de produção e de vestuário, amor e paixão eram muito evidentes. E não é pra menos: eles vão contar a história de um papel modelo.

“Foi um processo cheio de trabalho duro, mas, ao mesmo tempo tem sido divertido e gratificante.” Gal disse, antes de iniciar o ritual para colocar seu traje, para se deslocar da realidade à ficção.

E enquanto estávamos atrás dos monitores assistindo Gal correndo com um discurso incrível, pronto para qualquer batalha, não havia dúvida de que precisávamos ver um personagem neste universo.

Alguns meses mais tarde, nos encontramos em um glamouroso hotel em Los Angeles, agora para falar formalmente sobre seu papel, lições aprendidas e os resultados finais. E, embora o tempo fosse relativamente curto, a vida de Gal mudou completamente: O filme ainda não havia sido lançado e já tinha uma enorme base de fãs (milhões!) o apoiando; não podendo não falar sobre sua beleza, força, charme ou sua história (ou seja, uma mulher com formação militar está interpretando uma guerreira, o quão legal é isso?) E não se esqueça o pequeno detalhe que teve sua segunda filha, Maya. Mas ao vê-la, sem stress, recebendo cada experiência de braços abertos, chega um momento em que é difícil diferenciar a poderosa guerreira Amazona que ela interpreta, da mulher forte que tem o mundo em suas mãos.

 

Foi, sem dúvidas, uma ótima notícia saber que você iria interpretar a Mulher-Maravilha. Foi difícil para você se preparar para o papel?
Gal Gadot: Fisicamente, eu treinei muito, todos os dias! Tem sido um processo intenso, onde nós praticamos acrobacias e artes marciais, que também tem sido bastante divertido, porque nós aprendemos a fazer acrobacias, cavalgar, usar espadas, tudo para me fazer ficar forte. E quer saber? Eu me sinto fantástica! Agora eu não tenho medo de andar sozinho à noite (risos). Nem sempre foi fácil, mas esta mudança me fez feliz. Eu gosto do meu corpo, me faz sentir forte. Quando fui para as audições, eu era muito magra, quase sete quilos a menos do que agora, mas hoje eu tenho um físico mais muscular. Gosto de me sentir desse jeito, eu acho que excedeu os meus limites completamente.

Todos sabem que você teve treinamento militar como parte do exército israelense. Isso ajudou?
Gal Gadot: Eu sempre fui uma menina muito ativa. Minha mãe é professora de ginástica, e crescendo, me lembro que eu não via muita televisão, porque eu sempre quis sair e jogar, estar me movendo. Querer dançar, jogar tênis ou basquete… O que fosse! É algo natural para mim.

Fãs de quadrinhos podem ser bastante apaixonados. Você sentiu alguma pressão ou stress sobre isso?
Gal Gadot: Eu sei! Mas tudo está em decidir qual o seu caso: você pode ouvir o que é dito sobre você e se concentrar em seu trabalho e fazer o seu melhor. É claro que eu quero que todos gostem do resultado final, isso é óbvio, mas eu sei que não posso agradar os (milhões) fãs. Existem diferentes perspectivas, Inclusive algumas são contrárias! Minha responsabilidade como atriz é levar o roteiro e contar a história de forma mais criativa.

O que você aprendeu com essa produção e essa heroína?
Gal Gadot: Eu tenho trabalhado em vários filmes independentes, e definitivamente é um universo muito diferente quando se trabalhar em um filme como este. Foi estranho o processo de adaptação: quando fui selecionada por Zach Snyder, não era para este filme primeiro, mas para Batman v Superman, então eu tinha um projeto que já estava armado, ou seja, não foi começar do zero. Eles já sabiam como ficaria a personagem, o roteiro estava pronto. Eu não tinha chance de construir naquela ocasião. Era como se eu já deveria conhecê-la. Mas para esse, tivemos que planejar perfeitamente sua origem, enquanto ela não estava ciente de seus poderes e era uma jovem idealista, uma garota que acreditava que o mundo era branco ou preto, bom ou ruim, e que o bem sempre vencia o mal. Mas, no caminho ela encontra Steve Trevor, com quem descobre a complexidades da vida e da humanidade. Nem todos podem ser tão extremos, para dizer de alguma forma. Patty e todos da equipe sempre disseram isso em reuniões: “Temos este personagem icônico, que é a guerreira mais forte e mais surpreendente. Como contamos a sua história para que todos se sintam identificados?”. Com essa premissa, nós tivemos que mostrar as várias facetas que definem esta mulher muito antes de ser conhecida como a Mulher-Maravilha. Sim, ela é uma guerreira forte e poderosa, mas isso não significa que ela também não se sinta insegura, confusa e emocional. Como nós! Se queríamos um bom personagem, com o qual você pudesse se conectar, não poderíamos colocar como uma deusa intocável. Nós não somos perfeitas. Bem… você e eu sim (risos).

Uau, obrigado pelo elogio!
Gal Gadot: Claro! Mas para mim é: as mulheres não são perfeitas, nós temos nossos altos e baixos. Como você pode se identificar com uma deusa? Você pode, se você também experimentar esses fragmentos  de imperfeição. Como atriz, isso é o que realmente me intriga.

Você acha que o mundo está mudando em favor das mulheres?
Gal Gadot: Como mulher e como mãe de uma filha, é claro que sou uma feminista e eu não estaria aqui se não fosse pela luta de outras feministas que construiram este caminho para mim. O conceito está mudando, e um dos erros é achar que o movimento é contra os homens. Não é assim! Enquanto mais mulheres puderem contar nossas histórias de sucesso, mais poderosas vamos ser. Por outro lado, cheguei à conclusão de que este não é um filme apenas para mulheres. Esta história transcende as fronteiras, gêneros e argumentos. É uma história universal e é importante porque estamos acostumados a ver sempre o herói típico, lutar contra o mal, chutar seus traseiros e depois comemorar. Mas não, a Mulher-Maravilha tem o poder de escolher suas batalhas, resolver os problemas da melhor forma possível. Ou seja, nos deixa uma lição crucial: há sempre uma opção para resolver alguma coisa. Sempre. E na vida real, é um ensinamento muito útil, especialmente com tudo que está acontecendo no mundo. É importante lembrar de não sermos extremos e sermos mais compreensivos com os outros e preencher de amor, honestidade e aceitação do nosso ambiente.

Um pouco surpreendente é que este é o primeiro filme super-heróis chefiado por uma mulher. O que você acha?
Gal Gadot: É excelente. Desde o início, o estúdio procurou por uma diretora para esta história, era lógico. Nós todos sabemos que a indústria precisa de mais mulheres por trás das câmeras, diretoras ou roteiristas. E é bom saber que eles estão procurando por essas grandes personalidades. Patty Jenkins foi perfeita para mostrar a história de como uma jovem passa a ser uma mulher. Ela era a pessoa certa para o trabalho. Desde que Charlize Theron ganhou o Oscar por Monsters, muitos estúdios se aproximaram da Patty, e eu me lembro quando perguntaram a ela o que queria fazer, se reuniu com a Warner Bros. e disse: “Eu quero fazer a Mulher-Maravilha”. E isso foi há 10 anos! Eu a amo muito, sempre estará no meu coração, nos tornamos muito próximas. Ela é o tipo de pessoa que presta atenção no mínimo detalhe, sem esquecer tudo o que está ao seu redor. Por mais difícil que fosse, ela nunca desistiu e buscou a perfeição. Ela era a indicada.

Sabemos que você teve contato direto com Lynda Carter, na verdade, as duas foram para a ONU quando a Mulher-Maravilha foi nomeada um ícone feminista. Vocês falaram sobre como cada uma interpretou a personagem e seu trabalho?
Gal Gadot: Depois de conhecê-la, não tive dúvidas do por quê eles a escolheram. É impressionante: ela tem muita presença, é engraçada, inteligente, confiante e faz você se sentir confortável. É tão inspiradora, que roubou o meu fôlego! Tenho uma linda lembrança: nesse caso, Lynda estava segurando uma caneta dando seu discurso; quando chegou o meu momento de falar, ela fez um gesto para me entregar a caneta e disse: “Agora eu passo a tocha para você.” Foi lindo! Senti muita emoção. E sim, é claro que eu ainda tenho a caneta!

Se você tivesse alguma habilidade da sua personagem, o que seria?
Gal Gadot: Vamos ver… Eu odiaria ser mais alta do que o que eu já sou (risos). E eu sei que é muito forte, mas eu não gosto de lutar em vida real… Então, pediria para ter o laço da verdade.

Excelente escolha! O que você faria com ele?
Gal Gadot: Aí está o interessante! (Risos). Esse artefato é uma grande responsabilidade. Há muitas pessoas em quem deveríamos usá-lo! Existem muitas pessoas na atualidade que nós gostaríamos de ouvir dizer toda a verdade… Certo?

Um número infinito. Para finalizar. Quem, na vida real, você acha que reflete a filosofia e a força de seu personagem?
Gal Gadot: Assim, muitas mulheres do mundo! Eu acho que todas as que são mães, trabalhadoras, pessoas que cuidam de outros. É mais: Eu acho que todas as mulheres são Mulheres-Maravilha.

 

Inicio > Scans de revistas | Magazine Scans > 2017 > Junho – Glamour (México)

 

Fonte | Tradução e adaptação: Gal Gadot Brasil – Não reproduzir sem os créditos

Gal Gadot é a nova porta-voz do jogo League of Angels – Paradise Land

Gal Gadot vem ganhando bastante visibilidade após se consagrar como a Mulher-Maravilha no cinema, e com isso, diversos novos projetos estão aparecendo para a atriz. A novidade dessa vez é no mundo dos games. Leia abaixo o anúncio traduzido:

Gal Gadot, conhecida por seu papel como Diana Prince (Mulher Maravilha) em “Batman v Superman: A Origem da Justiça” e no próximo filme “Mulher-Maravilha”, é mais do que apenas uma atriz. Além de sua bem sucedida carreira cinematográfica, esta mulher maravilha da vida real completou dois anos de serviço militar, estudou direito e recebeu treinamento em esgrima, kick-boxing, capoeira e jiu-jitsu brasileiro.

“Ela personifica beleza, força, poder e graça. É por isso que Gal Gadot é a porta-voz ideal para o universo da League of Angels”, diz Liu Wanqin, vice-presidente da Youzu Interactive. Como uma plataforma de jogo online, o GTarcade faz parte do Youzu Interactive.

A história de Paradise Land ocorre no mundo do Elysium, onde um poder nefasto derrubou o domínio dos Anjos. A luta entre os humanos, elfos e orcs intensificou-se ainda mais. Quando a profecia do apocalipse se espalhou pela terra, ela se tornou tecida no tecido do destino. A lenda diz que somente a “Omega”, uma antiga relíquia dos Anjos, tem o poder de alterar o sombrio destino do mundo e impedir seu fim.

League of Angels está cheia de surpresas. Você nunca viu Anjos assim. Forme uma poderosa equipe de heróis e comece sua aventura épica. Obrigado por um grande dia Youzu!” disse Gal Gadot.

League of Angels – Paradise Land é o mais recente título móvel da série da League of Angels, que retrata um grupo de impressionantes super-heroínas. Seus antepassados, como em League of Angels, ganharam várias distinções, como os Melhores Jogos da Web do Facebook de 2016. Legacy of Discord – Furious Wings, outro jogo publicado pela GTarcade, tornou-se o ARPG móvel top na Europa e na América. Paradise Land é altamente capaz de seguir seus passos.

League of Angels – Paradise Land está disponível para jogar de graça na App Store e no Google Play. Agora embarque em sua jornada épica e batalhe ao lado de Gad Gadot!

 

 

Inicio > Campanhas | Campaigns > League of Angels – Paradise Land > Pôsteres | Posters

 

Fonte | Tradução e adaptação: Gal Gadot Brasil – Não reproduzir sem os créditos

Gal Gadot participa de conferência de imprensa ao lado do elenco de Mulher-Maravilha

Durante a longa divulgação de Mulher-Maravilha, Gal Gadot participou de mais um dia de conferência de imprensa, com direito a uma Q&A, ao lado de Chris Pine, Connie Nielsen, Robin Wright, Danny HustonPatty Jenkins, em Los Angeles, no dia 21 de maio.

Confira abaixo um resumo, do blog Sassy Mama in L.A, traduzido:

 

Ela é conhecida por muitos nomes, a maioria dos quais encanta seu poster do filme: Deusa. Guerreira. Lenda. Mas, muitos de nós conhecemos e e nos referimos como Diana Prince (Gal Gadot), a.k.a. Mulher-Maravilha, como um badass total. A diretora Patty Jenkins trouxe as páginas da HQ para uma nova vida com Mulher-Maravilha, a ação-aventura surpreendentemente inspiradora da DC Comics, que é tão viva quanto poderosa.

Jenkins não pensou no filme em termos de qual gênero o herói deve ser – é que, esta é a pessoa certa para ser chamada de salvadora. Na conferência de imprensa do filme em Los Angeles, ela especificou:

A vitória para isso é que, desde o início do conceito, seria o dia em que você pode fazer um grande filme sobre um herói e tanto faz o que eles são ser secundário. Essa será a vitória. ‘Eu sou uma mulher. Oh, sou? Certo! Ou talvez eu esteja em uma cadeira de rodas”. Eu não sei. Que diferença faz… Esse será o dia que será a vitória. Então é assim que decidimos abordar este filme. Eu amo a Mulher-Maravilha e eu nunca questionei nada enquanto eu crescia. Essa foi a nossa grande aspiração. Se pudermos fazer dela um grande herói, e fazer uma grande história, e fazer grandes Amazonas, onde não vamos pensar em nada disso, essa será a vitória. Naturalmente, estamos todos conscientes… Estou honrada e surpresa com a posição em que nos encontramos e todos queremos trazer uma mensagem de ser um herói para o mundo, mas uma mensagem de ajudar alguém a encontrar a sua voz. É com grande respeito e compreensão que fizemos isso.”

Connie Nielsen, que interpreta a mãe de Diana, Rainha Hippolyta, disse:

“É um super-herói incrível sendo ou não uma mulher. Você tem essa divisão acontecendo o tempo todo. Eu não gostaria que fosse um elemento chocante, mas ambos os tipos.”

Não é nenhuma surpresa que o maior trunfo da Mulher-Maravilha é a sua compaixão. Jenkins disse sobre essa característica,

“Ela representa oposto da violência, que é amor, verdade e compaixão. É por isso que ela é mágica.”

Esta qualidade ressoou em um nível pessoal com Gadot, que esclareceu,

“Essa é uma de suas maiores características. Eu me lembro quando nos conhecemos e comecei a falar sobre família e vida, contei a Jenkins sobre meu avô, um sobrevivente do Holocausto, e ele me ensinou que não importa quão escuro fique sua vida, você precisa encontrar sua luz interior. Compaixão é uma coisa muito grande. Foi importante para nós dois este filme ter uma mensagem profunda que todos podem se relacionar e levar para casa e praticar imediatamente.

    Ela encarna todas as qualidades mais maravilhosas que eu amo nas pessoas; Ela é curiosa, calorosa, amorosa e inclusiva. Ela vê o melhor das pessoas. É curiosa e sapeca e tem sua própria atitude. Ao mesmo tempo, ela não está tentando ser perfeita. Ela pode ser muito vulnerável e confusa, mas fixa em sua missão. Eu amo tudo sobre ela. Porque ela não é perfeita, mas ela é inteira e interessante.”

Chris Pine, que interpreta o espião/namorado Steve Trevor, falou sobre as qualidades semelhantes de sua co-estrela Gadot,

“É uma grande combinação rara de qualidades… fisicamente muito formidável, atraente e magnética, que às vezes pode vir transversalmente como áspera porque há uma nitidez à beleza que é esmagadora. Mas simultaneamente, ela tem um calor e curiosidade que é muito verdadeiro e infantil. Há uma pureza nela. Essa suavidade e força é a combinação crítica – e ela tem isso com espadas.”

Inicio > Eventos e Aparições | Appearances & Events > 2017 > 21/05 | Conferência de imprensa de “Mulher-Maravilha”, em Los Angeles

Inicio > Fotos Pessoais & Outros | Personal Photos & Others > Fotos de fãs > 2017 > 21/05 | Conferência de imprensa de “Mulher-Maravilha”, em Los Angeles

 
Fonte | Tradução e adaptação Gal Gadot Brasil – Não reproduzir sem os créditos

“A Mulher-Maravilha é feminista” diz Gal Gadot

E a maratona de divulgação de “Mulher-Maravilha” continua! Desta vez, Gal é a capa da revista Entertainment Weekly, na edição de Maio. Além disso, a revista liberou diversas imagens do filme. Confira a matéria, traduzida, abaixo:

Um dos destaques da Mulher Maravilha é a relação entre a Princesa Diana (Gal Gadot) e Steve Trevor (Chris Pine), o espião americano que cai sobre Themyscira e se torna o catalisador da aventura de Diana no exterior. O relacionamento deles preenche o coração do filme e é muito mais moderno do que se poderia esperar de um filme ambientado em 1918.

Artisticamente criadas pela diretora Patty Jenkins, as cenas que caracterizam os dois alternam entre a Mulher-Maravilha que tenta compreender os modos, um tanto enrolados da sociedade humana moderna, e os dois aprendendo os motivos e ambições um do outro. Não há jogo de poder e nenhum dos dois está sendo salvo pelo outro. Alguns podem chamar de igualdade, que para Gadot é o que o feminismo significa.

“A Mulher-Maravilha é feminista, é claro”, diz Gadot. “Eu acho que as pessoas têm um equívoco sobre o que é o feminismo. As pessoas acham que são axilas peludas e mulheres que queimam sutiãs e odeiam homens. Não é isso. Para mim, o feminismo é tudo sobre igualdade e liberdade e [mulheres] escolherem o que queremos fazer. Se são os salários, então somos pagas iguais aos homens. Não são homens contra mulheres ou mulheres contra homens.”

Essa perspectiva levou Gadot a considerar como ela representou sua heroína icônica na tela. “Era importante para mim que meu personagem nunca viesse e pregasse sobre como os homens deveriam tratar as mulheres. Ou como as mulheres devem agir. Tratava-se mais de brincar sem se lembrar das regras da sociedade. O que quer dizer com as mulheres não podem entrar no Parlamento? Por quê?”, Pergunta ela.

“Apenas lembrando a todos como as coisas deveriam ser. Eu queria fazer o estilo ‘peixe fora d’água’, mas eu não queria fazê-la ficar muito boba.”

O personagem do Pine foi muito pensado também. Ele não podia ser muito poderoso ou impotente. “Nós não queríamos fazer Steve a donzela em perigo, e queríamos que eles tivessem um relacionamento muito igual”, diz Gadot. “Se ela se apaixonar por ele, então ele deve ser alguém que toda mulher se apaixonaria”.

Adiciona Jenkins, “Steven Trevor é a fantasia perfeita para qualquer mulher moderna. ‘Quero ter o emprego que sempre quis. Eu quero ser forte e poderosa e todas essas coisas, mas eu quero um namorado realmente quente que pense que isso é ótimo e tenha um senso de humor sobre a coisa toda’”.

Para traçar esse humor, Jenkins deu a Pine e Gadot muita oportunidade de improvisar. Em uma cena, que foi exibida na WonderCon, os dois compartilham um passeio de barco de volta ao mundo do homem onde eles revelam sua química inicial – e fornecem diversas dicas de como será o tom geral do filme. Gadot e Pine improvisaram toda a cena. Pine adorou, especialmente porque destacava as habilidades de improvisação surpreendentemente boas de Gadot.

“Ela tem que ser uma mulher direta, que é a parte mais difícil”, diz ele. “Ela está entregando linhas como ‘Meu pai é Zeus’ – isso é tão ridículo. E ela tem que dizer isso com uma cara séria, com certa inocência e seriedade. Eu começo a reagir como qualquer ser humano seria ouvindo algo tão ridículo quanto isso. Então eu tinha facilidade.”

Inicio > Scans de revistas | Magazine Scans > 2017 > Maio – Entertainment Weekly

Inicio > Filmes | Movies > 2017: Mulher-Maravilha (Wonder Woman) > Stills

Inicio > Filmes | Movies > 2017: Mulher-Maravilha (Wonder Woman) > Bastidores | BTS

 

Fonte | Tradução e adaptação: Gal Gadot Brasil – Não reproduzir sem os créditos

Gal Gadot participa de segundo dia de divulgação de Mulher-Maravilha na China

Gal Gadot participou do segundo dia divulgação de “Mulher-Maravilha”, no dia 16 de maio, onde ela e seus companheiros de elenco, Chris Pine, a diretora Patty Jenkins e os produtores Charles Roven, Deborah e Zack Snyder participaram de mais uma coletiva de imprensa do filme respondendo perguntas de fãs e da imprensa chinesa. Eles falaram do filme e das gravações.

Fotos de fãs > 2017 > 16/05 | Coletiva de Imprensa de “Mulher-Maravilha”, na China

Eventos e Aparições | Appearances & Events > 2017 > 16/05 | Coletiva de imprensa de “Mulher-Maravilha”, na China

Gal Gadot divulga Mulher-Maravilha na China

Gal Gadot esteve em Xangai, na China, ao lado de Chris Pine, Patty Jenkins, Charles Roven, Deborah e Zack Snyder, para a premiere de Mulher-Maravilha que aconteceu no dia 15 de maio.

Confira abaixo algumas fotos e vídeos:

 

Fotos de fãs > 2017 > 15/05 | Premiere de “Mulher-Maravilha”, na China

Eventos e Aparições | Appearances & Events > 2017 > 15/05 | Premiere de “Mulher-Maravilha”, na China

Zack Snyder, um dos produtores de “Mulher-Maravilha”, confirmou a sequência para o filme da heroína durante a coletiva de imprensa, , e Deborah Snyder, também produtora do filme, disse que o próximo filme de super-heroína da DC Comics será o da Batgirl.


Gal, Chris e Patty ainda participaram da coletiva de imprensa, onde aconteceu uma exibição de 30 minutos do filme e um Q&A com o público presente.

Fotos de fãs > 2017 > 15/05 | Conferência de imprensa de “Mulher-Maravilha”, na China

Eventos e Aparições | Appearances & Events > 2017 > 15/05 | Conferência de imprensa de “Mulher-Maravilha”, na China

Divulgada a lista de músicas para a trilha sonora de Mulher-Maravilha

Foi divulgada a lista de músicas para a trilha sonora de do filme “Mulher Maravilha” , com autoria de Rupert Gregson-Williams ( “A Lenda de Tarzan“, “The Crown“).

 

1. Amazons Of Themyscira
2. History Lesson
3. Angel On The Wing
4. Ludendorff, Enough!
5. Pain, Loss & Love
6. No Man’s Land
7. Fausta
8. Wonder Woman’s Wrath
9. The God Of War
10. We Are All To Blame
11. Hell Hath No Fury
12. Lightning Strikes
13. Trafalgar Celebration
14. Action Reaction
15. To Be Human – Sia (feat. Labrinth)

 

A trilha sonora será lançada fisicamente em 2 de junho de 2017 e já está disponível para pré-venda na Amazon.
Mulher-Maravilha estreia nos cinemas brasileiros no dia 01 de junho de 2017.